A derrota para o Grêmio por 4 a 0 na última rodada mexeu com o Botafogo. Dentro do elenco, gerou cobranças internas e um compromisso de conseguir resultados. Em um plano mais amplo, ligou o sinal vermelho em relação ao rebaixamento. O alvinegro começa a 23ª rodada na 15ª colocação, apenas dois pontos acima da zona de descenso. Hoje, às 19h30, no Nilton Santos, o time enfrenta o Cruzeiro e tem a primeira oportunidade de mostrar se algo realmente mudou.

— Quando você perde por 4 a 0 tem que ficar com raiva, ficamos com vergonha porque isso não pode acontecer. Realmente houve uma cobrança muito forte, ainda em Porto Alegre, mas agora já estamos focados no jogo com o Cruzeiro — comentou o Joel Carli, um dos líderes do elenco, antes do treino de ontem, sem entrar em detalhes sobre o que aconteceu — Tem coisas que não devem sair do vestiário.

O argentino é presença garantida na equipe, assim como Igor Rabello, que retorna após cumprir suspensão e vai completar a dupla de zaga. Rodrigo Lindoso e Kieza, que estavam machucados com dores musculares na coxa, foram relacionados e podem aparecer no time. É a primeira vez que o atacante fica a disposição de Zé Ricardo. Rodrigo Pimpão, que tomou o terceiro cartão amarelo contra o Grêmio, é desfalque.

Apesar de estar embalado pela classificação na Libertadores, o Cruzeiro só venceu um dos últimos sete jogos. Uma esperança para o torcedor alvinegro, que tenta se apegar ao espirito do lateral esquerdo Moisés:

— Não sei como, mas a vitória tem que vir de qualquer jeito.

Reencontro com Bruno Silva

Se são pequenas as chances de começar como titular, Bruno Silva vai tentar ajudar o Cruzeiro como puder hoje. Em entrevista à Rádio Brasil, o meia disse que vai passar informações sobre o ex-companheiros para a comissão técnica mineira. Um dos principais jogadores do Botafogo entre 2016 e 2017, o meia deixou o clube no fim do ano passado em um fim de relacionamento um pouco conturbado. Será a primeira vez que ele volta ao Estádio Nilton Santos.

—É um lugar pelo qual tenho um carinho muito grande, onde fui bem recebido e muito feliz. Sei que a torcida ficou chateada com a minha saída. Fui um dos principais jogadores e eles não queriam que eu fosse embora. De qualquer forma, tenho um carinho grande pela torcida do Botafogo, mas hoje o que importa é fazer um bom trabalho aqui no Cruzeiro — contou o meia.

O destaque no Botafogo, principalmente pela campanha na Libertadores, chamou atenção dos mineiros, que pagaram R$ 5 milhões para contratar Bruno por três temporadas. Porém, ainda não repetiu as boas atuações no Cruzeiro e não se firmou como titular em nenhum momento, na última partida, contra o Internacional, chegou a ser vaiado pelos torcedores. Ao todo em 2018, foram 23 partidas e apenas dois gols marcados. Apesar do carinho, promete comemorar. Se balançar a rede hoje.

—— Seria falta de respeito com o Cruzeiro.

Fonte: Extra Online