Três momentos de terror envolvendo torcidas organizadas de Flamengo e Botafogo aconteceram antes do clássico do último domingo no Engenhão. O início da briga foi um ataque de torcedores organizados do Botafogo. Uma hora depois veio o revide por parte de organizadas do Flamengo, que acabou resultando na morte do botafoguense Diego dos Santos, 28 anos, baleado. Por fim, uma invasão dos rubro-negros na ala destinada ao torcedor comum do Botafogo encerrou a tarde de confrontos.

O primeiro confronto aconteceu nos arredores do setor leste do estádio, destinado à torcida do Flamengo. Por volta de 16h30, um grupo de torcedores organizados do Botafogo surpreendeu e atacou organizadas do Flamengo, que não tiveram tempo para reagir.

– Um dos maiores massacres já vistos. Os poucos que não correram estão caídos no chão. Sorte deles que apareceu a polícia e deu tiro para o alto – relata um áudio que circulou, logo após o ataque, em um grupo de WhatsApp de uma das organizadas do Botafogo que o EXTRA teve acesso.

O segundo momento foi o mais trágico e aconteceu por volta das 17h30, entre as entradas das alas oeste e norte, onde estavam concentradas as torcidas organizadas do Botafogo. Um grupo de flamenguistas resolveu aproveitar o pouco policiamento e revidar, e foi neste ataque que um carro passou atirando e matou o torcedor Diego dos Santos, 28 anos. Mesmo caído e baleado, os relatos dão conta que Diego ainda foi atacado. Diego estava na chamada “linha de frente” do confronto e teria sido alvejado por isso. A morte não teria nenhuma outra motivação que não uma vingança pelo primeiro confronto.

As brigas entre as organizadas acabaram aí, mas não o terror em volta do estádio. Uma hora depois, torcedores organizados do Flamengo chegaram pela estação de trem do Engenho de Dentro, e atacaram torcedores comuns do Botafogo, rasgando camisas e roubando alguns pertences, em uma espécie de arrastão. No tumulto, os botafoguenses se esconderam em casas e bares ao redor do estádio, em pânico.

O saldo dos confrontos, além da morte de Diego, é de oito feridos, um deles ainda em estado grave.

Fonte: Extra Online