Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Jogos

Copa do Brasil

14/04/21 às 21:30 - Frasqueirão

Escudo ABC
ABC

X

Escudo Botafogo
BOT

Campeonato Carioca

10/04/21 às 21:05 - Raulino de Oliveira

Escudo Volta Redonda
VRE

2

X

2

Escudo Botafogo
BOT

Campeonato Carioca

04/04/21 às 17:00 - Giulite Coutinho

Escudo Botafogo
BOT

1

X

1

Escudo Portuguesa
POR

Documento mostra que Botafogo apontou lesão e pediu repouso de Gatito; Paraguai o escalou, o que agravou problema

comentários

Compartilhe

Gatito Fernández, do Botafogo, em Paraguai 2 x 2 Peru | Eliminatórias da Copa do Mundo Qatar-2022
Reprodução/TV

A reportagem do tupi.fm teve acesso ao documento enviado pelo Botafogo à Federação Paraguaia de Futebol informando o estado clínico do goleiro Gatito Fernández. Foi colocado pelos médicos do Botafogo que o atleta estava em tratamento de uma lesão osteocondral no joelho direito. A confirmação da lesão foi feita através de uma ressonância magnética no dia 25/09.

A programação do departamento médico Alvinegro previa repouso, com restrição de carga por uma semana. Após a primeira semana, seria feito um trabalho com evolução progressiva de carga, com previsão do atleta estar apto para retorno aos treinos em 14 dias, sendo feita uma nova ressonância de controle.

Ou seja, Gatito Fernández jogou pela última vez contra o Vasco (23/09) pela Copa do Brasil. No dia 25/09 foi feita a ressonância magnética e constatada a lesão. Até o dia 02/10, a recuperação deveria ser feita com repouso e restrição de carga. Passada uma semana, a previsão era de retorno em 14 dias. Os jogos do Paraguai pelas Eliminatórias Sul-Americanas aconteceram nos dias 08/10 (Peru) e 13/10 (Venezuela).

Gatito foi titular e atuou toda a partida contra o Peru, recebendo dos médicos do Paraguai uma infiltração no joelho durante o intervalo. A substância era nociva à cartilagem, apesar de aliviar a dor no momento. O jogador não enfrentou a Venezuela na rodada seguinte. Pelo cronograma, ele não deveria ter sido convocado. Diretoria do Botafogo, atleta e médicos do Paraguai estavam informados da situação.

No retorno ao Brasil, o goleiro foi reavaliado e a gravidade da lesão aumentou de forma considerável, não tendo mais tempo estipulado para voltar aos gramados. O período de transição realizado foi para não perder ritmo em relação ao tempo de bola. Gatito não chegou a fazer transição em campo relacionada ao joelho. Nenhum trabalho mais avançado foi feito com o preparador de goleiros Flavio Tenius.

Em contato com a reportagem do tupi.fm, os responsáveis pelo DM na ocasião confirmaram as informações e relataram que o atleta sempre esteve ciente dos procedimentos adotados e o retorno precoce aconteceu sem as recomendações aplicáveis na recuperação.

Siga o @fogaonet no Instagram e fique por dentro das últimas notícias do Botafogo:

Fonte: Rádio Tupi

Comentários