Um encontro com um simpático vila-lata sarnento, na varanda de um restaurante em Petrópolis, mudou para sempre a vida de Carlos Eduardo Pereira, o novo presidente do Botafogo. O olhar suplicante do cãozinho comoveu o dirigente e ampliou sua percepção do mundo. Após ser adotado, o totó ganhou o mesmo nome do mascote alvinegro, Biriba, e se tornou um amigo leal para toda a vida. Nascia ali o Gapa-MA Itaipava (Grupo de Assistência e Proteção aos Animais e ao Meio Ambiente), que há 15 anos resgata e encaminha para adoção animais abandonados na Região Serrana.

“A adoção do Biriba, em 1999, mudou nossas vidas. Ele nos ensinou a ver o universo enorme de sofrimento de animais carentes aí fora. Os cães te oferecem amizade pura, não querem saber se você tem dinheiro, trabalho ou poder. São verdadeiros”, diz Carlos Eduardo, sem esconder o ar saudoso pela perda do amigo. Três dias depois de ele ter sido eleito presidente do Botafogo, Biriba morreu de complicações da velhice.

biriba_divEm sua bela casa, cercada por imensos eucaliptos e pinheiros, outros ‘Biribas’ espantam sua tristeza. Que o digam Kika, Lelê, Nininha, Louise, Branca, Fifi, Pintadinha, Mathilda e a recém-chegada Peppa, uma simpática porquinha que escapou por pouco da ceia do Natal. Sobreviventes dos maus-tratos e abandono das ruas, elas ganharam com Carlos Eduardo e a sua mulher, Rosemary Hissa, uma chance de viver com dignidade. “Hoje temos oito cães. Só adotamos animais que têm problemas de saúde ou algum defeito físico. Pego os que ninguém quer e te digo: sou muito feliz com isso”, afirma Carlos Eduardo, que construiu enorme canil no quintal de casa.

No belo refúgio, a matilha conta com o amor incondicional do casal para se livrar das marcas da crueldade humana. “A Nininha levou uma facada na cabeça e ficou com defeito motor no lado direito do corpo. A Louise foi atropelada e ainda teve cinomose, leptospirose. A nossa guardiã é linda”, derrete-se o presidente alvinegro, que não teve filhos. “A vida não nos colocou nesse caminho. Até nos cadastramos em 2009 para adoção, mas nunca nos apresentaram uma criança. Com o tempo desistimos e os cachorros ganharam mais importância”, revela.

Fonte: Blog Observatório da Bola - Márcia Vieira - O Dia Online