Desde que chegou ao Botafogo, o técnico Vagner Mancini tratou de escalar o ataque da equipe com Emerson Sheik e Zeballos. A dupla ainda busca o entrosamento ideal, pois atuaram juntos em apenas quatro jogos. Mesmo assim, o paraguaio é só elogios quanto ao companheiro de time. Para o camisa o camisa 11 alvinegro, ter um jogador da experiência do atacante é importante para o clube.

“Emerson é um jogador muito bom, que já ganhou muita coisa no futebol. É um atleta que toda equipe gostaria de ter, nos sentimos orgulhosos de tê-lo como companheiro. Acredito ele nos ajuda dentro e fora de campo. Quando está jogando é como se fosse um treinador também, porque fala bastante e dirige o time. Acho que é fundamental essa comunicação”, comentou o atleta.

No Glorioso, Zeballos já atuou em três funções diferentes no ataque. Atualmente, Mancini tem escalado o jogador de 28 anos pelo lado esquerdo. O paraguaio, entretanto, não vê as alterações como um problema.

“Durante a minha carreira já joguei em todas as posições do ataque. Seja de quarto homem do meio, primeiro atacante, segundo atacante… Espero sempre conseguir fazer o que pede o treinador. Quero é jogar e ajudar, seja criando situações de gol ou fazendo”, concluiu o atleta.

A dupla de ataque volta a atuar junta na próxima quarta-feira, quando o Botafogo enfrente o Grêmio, em Caxias do Sul, em jogo válido pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro.

Fonte: O Dia Online