Os 1795 sócios que têm direito a voto escolhem nesta terça-feira quem será o sucessor de Maurício Assumpção na presidência do Botafogo. Apesar do momento catastrófico, quatro candidatos estão dispostos a comandar o Alvinegro durante os próximos três anos: Carlos Eduardo Pereira, Marcelo Guimarães, Thiago Cesário e Vinícius Assumpção.

Aos 56 anos, o administrador Carlos Eduardo disputa seu segundo pleito no Glorioso. Líder da “Chapa Ouro”, ele milita desde 1981 na política do clube e, em 1994, tornou-se sócio-benemérito. Na última disputa para a presidência, em 2011, ele foi derrotado por Assumpção por 73% a 27% dos votos. Desta vez, o apoio de ídolos do passado como o “Capita” Carlos Alberto Torres e Amarildo “O Possesso” faz com que a confiança na vitória seja grande.

Durante três anos e meio, Marcelo Guimarães teve papel fundamental no marketing do Botafogo, considerado um dos mais atuantes e inovadores entre os clubes de futebol no Brasil. Maurício foi quem o colocou no cargo de diretor do setor em 2009 e também o demitiu no meio do ano passado. O administrador de 55 anos, agora, espera retornar ao clube do coração no comando da “Chapa Grande Salto” para implementar uma gestão profissional.

Thiago Cesário advogou durante 12 anos antes de se dedicar à carreira de empresário. Ele deixou o cargo de vice-presidente de comunicação na atual gestão para concorrer na eleição pela “Chapa Azul”. Mesmo presente nos dois mandatos de Assumpção, o advogado de 54 anos rejeita o rótulo de candidato da situação. Apoiado pelos influentes ex-presidentes Carlos Augusto Montenegro e Bebeto de Freitas, ele espera conseguir a maioria dos votos.

Um dos conselheiros mais jovens do quadro do Botafogo, Vinícius Assumpção, de 52 anos, é quem encabeça a ‘Chapa Alvinegra’ trocou o sobrenome por “Presidente” durante a campanha para evitar qualquer ligação com a diretoria comandada por Maurício. A principal proposta do administrador, que já foi presidente do Sidicato dos Bancários e atualmente é Secretário de Desenvolvimento Econômico Solidário do município, é ampliar a democracia no clube, permitindo que os sócios-torcedores tenham direito a voto.

Fonte: O Dia Online