O Botafogo entra em setembro com o sinal amarelo ligado. O time de Eduardo Barroca — que engatou uma sequência de resultados positivos quando o técnico assumiu e chegou a sonhar com o G-4 do Brasileiro e a vaga direta na Libertadores — sofreu uma queda radical de rendimento. Frear este movimento virou a palavra de ordem.

A diferença no desempenho antes e depois do recesso salta aos olhos. Da estreia de Barroca até a pausa da temporada, foram sete vitórias e quatro derrotas. Um aproveitamento de 63,6% que levou o clube às oitavas da Sul-Americana e à sétima colocação do Brasileiro, a primeira na tabela abaixo do grupo que se classifica para a Libertadores da América.

Após a Copa América, os números despencaram: foram seis derrotas, dois empates e apenas duas vitórias. O aproveitamento em dez partidas é de somente 26,6%. Como resultado, o time foi eliminado da competição internacional e se afasta do pelotão de frente do Brasileiro. Levando em consideração apenas os resultados no torneio depois do recesso, o Alvinegro seria o 14º colocado.

Fonte: Extra Online