Na expectativa em cima da estreia, Keisuke Honda é o centro das atenções do dia a dia do Botafogo desde que foi apresentado. Mesmo sem estar regularizado – o clube ainda não deu entrada no documento de transferência internacional -, o japonês já vem treinando com o resto do grupo e deixando uma boa impressão com a comissão técnica.

Keisuke Honda chegou ao Botafogo com uma taxa de 4% de gordura corporal, impressionando o departamento médico. O japonês até chegou a pular etapas previstas pelo núcleo por estar acima da média para um jogador de 33 anos que não entrava em campo há dois meses, acelerando os processos de treinamentos com bola.

Dentro das quatro linhas, o nipônico também vem impressionando. Até aqui, Honda foi utilizado, na maior parte das vezes, como meia central. Os pontos fortes são os passes e a capacidade de construir jogo. A zona que o japonês mais gosta de atuar é saindo da direita para a esquerda no meio-campo, tendo preferência para lançamentos em diagonal.O primeiro “teste” de Honda pelo Botafogo foi um jogo-treino contra o Resende, na última sexta-feira, no campo anexo do Estádio Nilton Santos. O japonês atuou por cerca de 35 minutos e, quando esteve em campo, tentou ditar o ritmo do ataque alvinegro, mas não teve chance de marcar gols.

Apesar de estar bem fisicamente, Honda ainda sente a falta de ritmo de jogo. Diante do treinamento contra o Resende, o japonês ainda esteve ‘pesado’ em campo. Tais tipos de movimentação são consequência do trabalho do meio-campista com bola no decorrer dos dias – portanto, a tendência é que o atleta recupere o ritmo nas próximas semanas.

Fora de campo, o Botafogo corre contra o tempo para regularizar Honda para a disputa da Taça Rio, o segundo turno do Campeonato Carioca. Dentro das quatro linhas, contudo, Honda vem fazendo a sua parte para estar disponível quando a oportunidade chegar.

Fonte: Terra