O jogo do último domingo, o empate sem gols contra o Atlético-MG, fora de casa, pode ser um indicativo de que Leo Valencia busca dias melhores no Botafogo. Com a suspensão de Marcos Vinicius, ele poderia ter sido escalado por Jair Ventura. Poderia, mas foi preterido por Gilson, lateral-esquerdo reserva. O comandante fez três substituições no Horto e não optou pelo chileno, nem mesmo quando sacou Victor Luis e colocou o ala na posição de origem.

O gringo agora espera nova chance contra o Fluminense, no sábado, às 19h, no Nilton Santos, em jogo da 32ª rodada. Desta vez é o volante João Paulo, também habituado a jogar por ali, que está suspenso. Se ele vai jogar ou não, só saberemos minutos antes do confronto.

Ele chegou ao Alvinegro em julho, para suprir a ausência de Montillo, que aposentou-se, e já soma dez jogos pelo clube. E os números não mentem: ele precisa melhorar o desempenho para, quem sabe, virar incontestável no esquema do Glorioso.

Ainda em busca do primeiro gol, Valencia vê o companheiro M.Vinícius ter marcado duas vezes nos dez primeiros jogos, o que também acontece Leandrinho – lesionado. Este, inclusive, marcou contra o Vasco, em plena final de Campeonato Carioca. O atual elenco também tem João Paulo, que passou em branco nos dez primeiros jogos, mas atuou por mais minutos( 740 x 570). Ambos, no início, foram titulares seis vezes.

Dívida com os antecessores
Em comparação com ex-camisas ’10’ (embora ele costume usar a 7) recentes, Leo também deve, sobretudo para os dez primeiros jogos de Camilo. O carioca de 31 anos marcou três vezes no início pelo Glorioso, incluindo na estreia, contra o Inter, fora de casa. Um dos destaques da temporada passada, ele foi titular em todos as dez partidas e jogou 860 minutos.

O gringo que antecedeu Valencia, Montillo também passou em branco nos dez primeiros jogos pelo Alvinegro – e em toda passagem pelo Botafogo – mas atuou mais vezes como titular (9 a 6) e por mais minutos (700 a 570 minutos).

Leo Valencia também fica atrás de Daniel Carvalho. Por mais que ele tenha atuado mais minutos (570 a 470) que o gaúcho, o ‘cara’ da armação na Série B de 2015 também fez duas vezes nos dez primeiros jogos, com direito a tento na estreia.

Leo Valencia – 10 jogos e nenhum gol – 570 minutos – 0 gols/jogo – seis jogos como titular

Camilo – 10 jogos e três gols – 860/minutos – 0,3 gols/jogo – gol na estreia – dez jogos como titular

Montillo – 10 jogos e nenhum gol – 700 minutos – 0 gols/jogo – nove jogos como titular

Marcos Vinícius – 10 jogos e dois gols – 414 minutos 0,2 gols/jogo – quatro jogos como titular

João Paulo – 10 jogos e nenhum gol – 740 minutos – 0 gols/jogo – seis jogos como titular

Leandrinho – 10 jogos e dois gols – gol em final – 406 minutos 0,2gols/jogo – cinco jogos como titular

Daniel Carvalho – 10 jogos e dois gols – Gol na estreia – 470 minutos – 0,2 gols/jogo – cinco jogos como titular

Fonte: Terra