Não foi apenas para os jogadores e para o técnico René Simões que a fúria da torcida do Botafogo foi direcionada na noite desta terça-feira. Após a derrota por 1 a 0 para o Figueirense e a eliminação na Copa do Brasil, Felipe, goleiro reserva da equipe catarinense, gerou a revolta de muitos alvinegros. Depois do apito final, pouco antes da entrada no túnel dos vestiários do Estádio Nilton Santos, o ex-atleta do Flamengo (foi demitido em janeiro) provocou os torcedores e, com uma mão, fez o gesto de choro. A reação dos botafoguenses foi imediata.

O gesto remete a uma antiga provocação dos flamenguistas aos botafoguenses. Em 2008, na decisão da Taça Guanabara, o Flamengo derrotou o Botafogo por 2 a 1. Após a partida, o então técnico Cuca e todo elenco alvinegro foram juntos à sala de imprensa, reclamaram com veemência da arbitragem e, alguns, choraram.

Três dias depois, em um jogo contra o Cienciano-PER, pela Libertadores, no Maracanã, o atacante Souza comemorou um gol do Flamengo levando as mãos aos olhos e fingindo estar chorando. A provocação ao Botafogo levou a torcida rubro-negra a criar uma paródia com uma tradicional música da torcida alvinegra e apelidar o rival de “chororô”. Estigma que o clube carrega até os dias atuais por conta das provocações das torcidas rivais do Rio de Janeiro.

Fonte: Paulo Afonso TEM