Felipe Conceição pode ser considerado o grande responsável pelo desenvolvimento de Luís Henrique dentro do Botafogo. Técnico da equipe sub-17 do clube, ele começou a carreira junto com o atacante no sub-15, em 2013, e foram subindo juntos na base alvinegra.

“Não me surpreendeu. Quando o Manoel Renha (diretor da base) me perguntou sobre o Luis Henrique, dei a minha opinião e disse que achava que ele já poderia ir bem entre os profissionais. Não foi uma surpresa para mim. Ele surpreendeu muita gente, mas não a mim. Ele vem correspondendo às expectativas. Há dois anos, eu estava fazendo curso de treinador da CBF e realizando estágio no Botafogo, quando o Luis Henrique chegou para fazer testes. Nessa época, já percebi o talento e comentei como ele era muito bom. Ele ficou no clube, e eu assumi a categoria sub-15. Iniciamos praticamente juntos nossas caminhadas no Botafogo. No ano passado, subimos para a equipe sub-17. Ele é um menino espetacular, disciplinado e com um potencial muito grande. Conheço o Luis muito bem. Ele tem muita maturidade, é um garoto concentrado e focado no trabalho. Continuamos nos falando, trocamos mensagens. Ele está muito feliz com tudo o que está acontecendo. Desejo toda a sorte a ele. Não falamos mais sobre táticas. Isso agora é com o René. Mas ficou a amizade, e o carinho continua o mesmo”, afirmou Felipe ao site ‘GloboEsporte’.

Para o treinador, Luís tem tudo para se tornar em breve um dos melhores jogadores do Brasil. O jovem de 17 anos estreou com dois gols e grande jogada em outro na goleada sobre o Sampaio Corrêa, enquanto no empate contra o Ceará a bola pouco chegou – mas acertou belo chute no travessão na única chance que teve. “Eu acho que ele pode se tornar um dos melhores do país, sem dúvida, pelo potencial e características que tem. O Luis tem uma explosão muito forte e um vasto e eficiente repertório de finalizações. Ele tem tudo para chegar longe. Lógico que o caminho é longo, ele tem muito a evoluir, mas o talento está ali”, avaliou Felipe.

Mas não só de Luís é feita a geração 98 do Glorioso. Vice-campeões da Copa do Brasil Sub-17, os juvenis do clube estreiam nesta quinta-feira na Taça Belo Horizonte, enfrentando o Tupynambás. Além do artilheiro, agora já profissional, outros nomes a serem observados são o lateral-direito Lucas César, o lateral-esquerdo Jordan, o volante Matheus Fernandes (os dois últimos já atuando pelo sub-20) e o meia-atacante Wenderson. “Conseguimos criar uma identificação muito forte nesses dois anos de trabalho, construímos algo bacana, construímos valores. Meu sentimento é de alegria, assim como o sentimento dos meninos. Eles estão motivados e acreditam que possam seguir o mesmo caminho do Luis. Já na Copa do Brasil sub-17, eu falei que esse time tem a chance de ser a base profissional do Botafogo daqui a um tempo. Não gosto de citar nomes, mas temos muitos jogadores que em breve acredito que estarão entre os profissionais. É uma geração muito talentosa e que está amadurecendo muito rapidamente. Vai sair mais coisa dessa plantação. Vem mais por aí”, projeta o treinador.

Fonte: Futnet