A proximidade incômoda com a zona de rebaixamento acendeu o alerta no Vasco e a pressa voltou a pautar a diretoria na busca por um novo técnico. Sem Abel Braga, sonho de consumo do presidente Alexandre Campello, a diretoria se reúne nesta terça-feira para tratar de outros nomes. Dois estão na pauta das conversas entre o dirigente, o diretor de futebol Alexandre Faria e o coordenador técnico PC Gusmão: Jair Ventura e Alberto Valentim.

Ambos estão livres no mercado. A pessoas próximas, sinalizam que uma proposta boa farão com que voltem a trabalhar o quanto antes. Jair está no Rio desde que saiu do Santos e Valentim retorna ao Brasil no começo dessa semana depois de passagem frustrada pelo futebol do Egito.

Tanto Vasco quanto as partes negam contatos, até o momento. Com Abel Braga, Alexandre Campello atuou diretamente – é amigo pessoal do treinador. Mas recebeu uma negativa do técnico, que não deseja iniciar trabalhos com a temporada em andamento. A própria questão financeira é um dificultador no caso de Abelão.

Pesa a favor de ambos, Valentim e Ventura, os valores salariais mais condizentes com a realidade do Vasco. Em São Januário, há quem torça o nariz para a postura de Alberto Valentim durante as finais do Campeonato Estadual – o Vasco perdeu a decisão para o Botafogo, treinado na ocasião pelo técnico.

Jair Ventura é quem toca a própria carreira. Sem representante fixo, depende de quem traz a proposta. Quando foi para o Santos, por exemplo, foi Carlos Leite quem intermediou o negócio entre o clube paulista e o técnico. Valentim, por sua vez, tem a carreira gerenciada por Hugo Garcia. O agente é quem está encarregado de encontrar um novo clube para o treinador.

Alexandre Campello, presidente do Vasco, sempre foi a favor da contratação de um novo técnico para o lugar do Jorginho. Ele não vê Valdir Bigode pronto para ser efetivado, mas, a pessoas próximas, admite que fechou com Jorginho para o lugar de Zé Ricardo com muita pressa. Preocupado em não se precipitar novamente, deu a semana de treinos para o jogo contra o Ceará para Valdir trabalhar a equipe. O empate em 1 a 1 somente reforçou a convicção do presidente.

Fonte: Extra Online