Dia 30 de dezembro, antevéspera de Ano Novo. De 2017 para 2018, o Botafogo ainda não tem contratações fechadas, não disputará a Copa Libertadores, perdeu titulares e treinador e tem expectativa baixa para a próxima temporada. Cenário bem diferente de um ano atrás.

No final de 2016, a torcida alvinegra era só alegria. Depois de uma arrancada histórica e a surpreendente vaga na Copa Libertadores, Montillo havia sido contratado e festejado. Resultaria num mau negócio, mas somente meses à frente isso seria confirmado.

Mais recentemente, as grandes movimentações do Glorioso foram nos bastidores. A mudança na diretoria, a efetivação de Felipe Conceição como treinador e a composição da nova comissão técnica. Se no ano passado Roger já estava certo como novo centroavante, desta vez, não.

O artilheiro do ano botafoguense já saiu, nenhum substituto foi contratado, até o momento, e a não participação na próxima Liberta diminuiu o interesse de possíveis reforços também para outras posições. A relação entre torcida e clube também está estremecida, após o melancólico fim de Brasileirão.

O elenco se reapresenta no dia 4. Salvo uma revolução nos próximos dias, só com os resultados é que a torcida vai voltar a sorrir.