Joel Carli, zagueiro, um dos líderes do Botafogo, nascido em 1986 e um dos mais experientes do elenco. Gum, zagueiro, capitão do Fluminense, nascido em 1986 e um dos mais experientes do elenco. O encontro desses dois jogadores, digamos, mais veteranos, será um dos capítulos do Clássico Vovô que acontece nesta segunda-feira, no Nilton Santos, às 20h (de Brasília).

Apesar de vasta história no futebol, esta temporada se tornou especial para ambos. Pela primeira vez, tiveram a oportunidade de subirem ao pódio com a braçadeira e levantarem as taças conquistadas. Após se tornar heroi na final – ao balançar a rede no último minuto contra o Vasco – Carli foi quem recebeu o troféu do Campeonato Carioca.

– O jogador tem que estar preparado para quando o treinador precisar. Sempre trabalhei e a oportunidade chegou. Recebi um presente do céu e o Botafogo foi campeão. É um time que faz as coisas certas e trabalha bem – disse após a conquista do Estadual.

Já Gum, após fazer o gol que classificou o Fluminense para a final da Taça Rio, em semifinal contra o Flamengo, ajudou na vitória sobre o Botafogo e levantou a Taça Rio para o Tricolor.

– Muito especial (levantar o troféu) porque passamos um começo de ano difícil. Muitas críticas, pressão. Trabalhamos com muita humildade, sempre buscando melhorar. Somos um time de muita luta. Foi um título desejado – revelou Gum depois de vencer a Taça Rio

O termo “xerife” é designado, geralmente, ao oficial responsável por manter a paz. Sendo assim, no caso de Botafogo e Fluminense, a alcunha está bem entregue. Resta saber qual dos zagueiros sairá sorrindo do Nilton Santos.

Fonte: Terra