A Federação de Futebol do Estado do Rio (Ferj) vai usar o árbitro de vídeo nas partidas decisivas do Campeonato Carioca para que possa fazer um banco de dados sobre essa tecnologia. No entanto, ele não poderá interferir no lances. O teste será de forma off-line. A implementação completa será apenas em 2019.

— Vamos fazer um teste. Saber se as câmeras estão bem posicionadas, se o árbitro está mesmo sem interferência de som do gramado… Para, em 2019, ele ser completamente implementado, sem dúvidas. Mas, nessas partidas, ele não vai interferir. A gente quer aprender a tecnologia, aprimorar o uso e reduzir custos — explicou Jorge Rabello, presidente da Comissão de Arbitragem do estado do Rio.

O custo e o tempo hábil foram fatores determinantes para que a implementação seja experimental ainda. Segundo a federação, esse teste vai custar R$ 5 mil por partida e será usado em 10 ocasiões decisivas. Ja a implementação do sistema on-line custará, por partida, cerca de R$ 30 mil, que serão custeados pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

— A pergunta que todos me fazem é: se nessas partidas decisivas tiver um gol de mão na bola que o árbitro não viu, ele vai interferir? Te respondo que não. Mas esses dados vão ser usados para provar que o árbitro de vídeo é fundamental. Por enquanto, estamos aprimorando nosso conhecimento — completou Rabello.

Na reunião desta quinta-feira, a Federação apresentou também a bola do carioca.

Fonte: Extra Online