Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Jogos

Taça Rio

22/05/21 às 15:05 - São Januário

Escudo Vasco
VAS

X

Escudo Botafogo
BOT

Taça Rio

16/05/21 às 11:05 - Nilton Santos

Escudo Botafogo
BOT

X

Escudo Vasco
VAS

Taça Rio

09/05/21 às 18:00 - Nilton Santos

Escudo Nova Iguaçu
NOV

0

X

1

Escudo Botafogo
BOT

Filho de ex-vigia, Bruno Silva reconhece segurança que dá ao time: ‘Tenho importância’

0 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Natural de Nova Lima, região de Belo Horizonte conhecida por suas minas de ouro, Bruno Silva se consolidou como peça de valor no Botafogo. Confirmado no time titular que enfrenta a Chapecoense, neste domingo, às 16h, na Arena Condá, o volante revê seu ex-clube e relembra a trajetória típica de um cigano.

O começo no interior de Minas com a camisa do Villa Nova, em 2005, foi o ponto de partida para um caminho trilhado por outros clubes do interior. A afirmação, porém, aconteceu no Avaí, entre 2007 e 2012. Até chegar à Ponte Preta, no ano seguinte, Bruno Silva sempre teve a companhia dos ensinamentos de seu pai.

Operário da construção civil e vigia, seu Aldair sempre aconselhou o filho a estudar. Trabalhar com ele estava fora de cogitação. Aos 14 anos, porém, Bruno Silva mudou de rumo: foi jogar no Villa.

— Era meu sonho jogar futebol. Saí de casa e ficava na rua. Era a única coisa que eu sabia fazer. Meu pai e minha mãe deram suporte, sempre correram atrás. Mas me cobravam para estudar, nunca trabalhei com meu pai — conta o atleta de 29 anos, casado e pai de duas filhas.

Depois das andanças, Bruno Silva disputa a primeira temporada no futebol carioca. A regularidade do meio-campista é exatamente o que busca o Botafogo na competição. Ainda próximo da zona de rebaixamento, com 17 pontos em 15 rodadas, o Alvinegro tem no volante seu ponto de equilíbrio. A saída de Willian Arão já nem é mais sentida. Com jeito mineiro, Bruno Silva sabe seu valor.

— Estou muito feliz de jogar em um clube como o Botafogo, de tradição. A cidade também é muito bonita, me adaptei bem com a família. A confiança do Ricardo Gomes me deixa muito feliz — afirma o jogador, que só não disputou uma partida do Botafogo neste Brasileiro e é fã de Zé Roberto, hoje no Palmeiras: — A torcida pode não me enxergar, mas tenho importância para o time.

No clube da Estrela Solitária, o mineirinho Bruno Silva já conquistou seu lugar no céu.

Notícias relacionadas
Comentários