Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Jogos

Carioca

25/04/21 às 18:00 - Nilton Santos

Escudo Botafogo
BOT

X

Escudo Macaé
MAC

Carioca

17/04/21 às 16:00 - Maracanã

Escudo Fluminense
FLU

1

X

0

Escudo Botafogo
BOT

Copa do Brasil

14/04/21 às 21:30 - Frasqueirão

Escudo ABC
ABC

1

X

1

Escudo Botafogo
BOT

Motivacional e salários: finalista da Libertadores no Santos, Cuca recorda experiências no Botafogo

31 comentários

Compartilhe

Ex-técnico do Botafogo, Cuca está na final da Libertadores com o Santos
Reprodução/SporTV

Cuca teve duas passagens pelo Botafogo entre 2006 e 2008. Já são 13 anos longe do clube. Porém, até hoje guarda grandes recordações. E, mais do que isso, usa as experiências para nortear sua carreira. Nesta quarta-feira, comandando o Santos, ele eliminou o Boca Juniors com vitória por 3 a 0 e chegou à final da Libertadores.

No programa “Seleção SporTV”, Cuca foi perguntado por Galvão Bueno sobre superstições e lembrou duas passagens motivacionais no Botafogo.

– Teve um jogo que o Botafogo foi jogar com Athletico-PR, jogo muito difícil, e precisava vencer. Quando o ônibus parou na entrada do portão, não conseguiu entrar de frente, ia dar ré, tinha torcida do Athletico ali. Senti que o time estava frio, falei “parou, vamos descer aqui”, no meio da torcida do Athletico. Aquilo mexeu e ligou meu time. Não falei aquilo porque não podia dar ré, foi para dar up no meu time. Resumindo, foi 5 a 0 para nós. Se não descesse não ia ser? Não sei – afirmou Cuca.

– Tive um time no Botafogo, jogo decisivo com Sport Recife, não estava legal. Me veio a ideia de coração do boi. Amarrei em uma atadura de pano e pendurei no meio do aquecimento, da sala. No começo o pessoal olhou de lado, desconfiado, no final não tinha um que não dava um soco, dentro da ideia que tivemos. Foi um jogaço, 3 a 3, na chuva. Não serviu só para aquilo, com o teor e o que significou. Tentamos sempre criar algo para dar o jogador começar a mil por fora – explicou Cuca.

– Acabou que amarrou lá no topo, no outro o dia pessoal do Sport viu, falaram que era magia negra, macumba no vestiário – brincou.

Outra experiência que ele guarda é em relação a salários.

– Falam que estamos com salários atrasados, falo que é uma poupança. Temos a ver, duro é não ter nada. Daqui a pouco o cara paga. Bebeto (de Freitas), que Deus o tenha, no Botafogo ficou devendo quatro meses de salário, quando pegou uma grana pagou seis. Pagou a mais. Trago isso como lembrança. Estamos com novo presidente, temos que entender, para ele colocar as coisas em ordem. Estamos na contramão, o normal é quem tem investimento maior e salários em dia ter o resultado, nós não temos esses argumentos – completou.

Fonte: Redação FogãoNET e SporTV

Comentários