A dúvida é a mesma. Rivais às 21h, no Maracanã, Fluminense e Botafogo veem suas torcidas divididas quando o assunto é o titular do gol. Os contextos, no entanto, são opostos. Enquanto os tricolores sofrem com a irregularidade de Júlio César e Diego Cavalieri, os alvinegros vibram com a disputa regada a boas defesas entre Jefferson e Gatito Fernández.

Na noite desta quarta-feira, Júlio César e Jefferson serão os titulares no Maracanã. Mas ninguém está seguro no posto. No tricolor, o titular conta com o respaldo de Abel Braga. Mas convive com as críticas da torcida e com a sombra de Cavalieri, que treina à espera de nova chance.

– O que mais friso é que o Diego é muito profissional. Não chega atrasado e só trabalha. Em contrapartida, tem o meu momento como titular. Fica até difícil falar – comentou Júlio César, de 30 anos, que atuou no Botafogo uma década atrás.

Por sua vez, Jefferson aproveitou a ausência de Gatito, que se recupera de um corte no joelho, para brilhar contra o Atlético-MG, jogo que marcou seu retorno após mais de um ano de luta contra uma lesão no cotovelo. Mas a volta do paraguaio dará início a uma briga acirrada.

– A gente vai jogando com aquele que estiver no melhor momento – despistou o técnico Jair Ventura.

Quem conhece bem as glórias e a responsabilidade de assumir os gols de Botafogo e Fluminense não fica em cima do muro. Para Paulo Vítor, campeão brasileiro pelo Fluminense em 1984, o dono da posição é Cavalieri. Mas ele reconhece que o antigo titular precisa provar que pode retomar o posto.

– Tanto o Júlio César quanto o Cavalieri vivem uma fase de instabilidade – admite. – Prefiro o Cavalieri pela experiência, pelo histórico de campeão brasileiro. Porque isso passa confiança para a torcida e para o time, que é muito jovem e precisa se sentir seguro. Agora, tem que ver se ele ainda está em condições de retomar a regularidade.

A experiência também é o motivo pelo qual Paulo Sérgio, que participou da Copa do Mundo de 1982 graças às boas atuações no Botafogo, prefere Jefferson. Mas ele pede mais cautela com a euforia em torno do retorno do goleiro alvinegro:

– Por enquanto, foi só uma partida. Ali é explosão. Você dá o máximo para mostrar que voltou bem. Mas depois é normal haver uma queda. Como o Gatito vem de uma sequência, é o merecedor da vaga. Mas o Jefferson é ídolo. Se mantiver a regularidade, uma hora o Jair vai ter que dar a posição a ele.

Na linha, só o Fluminense tem dúvidas. Gustavo Scarpa e Orejuela não treinaram nesta terça-feira e ainda não estão garantidos. Suspenso, Henrique Dourado está fora. Em compensação, Wendel e Richarlison voltam. Já o Botafogo deve ser o mesmo que empatou com o Atlético-MG.

O alvinegro anunciou nesta terça-feira a contratação do meia chileno Leo Valencia. Ele assinou contrato por três anos. Além disso, o Conselho Deliberativo do clube aprovou, por unanimidade, a compra do CT em Vargem Pequena. O custo total será de R$ 25 milhões.

Fonte: O Globo Online