Como uma foto resume a pesada herança do Comitê e o tamanho do problema para Freeland no Botafogo

86 comentários

Blog da Redação

Blog da Redação

Compartilhe

Marcelo Chamusca e elenco - Treino do Botafogo
Vitor Silva/Botafogo

O Botafogo tem há alguns anos o melhor fotógrafo de clube do Brasil. Vitor Silva registra com maestria os treinos, eventos e jogos do clube e muitas vezes transforma o que poderiam ser simples cliques em verdadeiras obras de arte.

As imagens publicadas no Flickr do clube também podem virar informação numa época em que o acesso aos treinos pela imprensa são vetados por conta da pandemia da Covid-19. E uma foto em especial gerou repercussão entre os torcedores alvinegros nas redes sociais.

A imagem mostra jogadores que estão – aparentemente, não oficialmente – fora dos planos do Botafogo para a temporada: Barrandeguy, Rafael Forster, Rhuan e Kevin. Eles se misturam a atletas que jogaram menos de 45 minutos contra o Bangu, sábado, e reforços que ainda não estrearam, como Felipe Ferreira, Carli e Gilvan.

O CRÉDITO DA FOTO É OBRIGATÓRIO: Vítor Silva/Botafogo

É um retrato de uma árdua tarefa que o diretor Eduardo Freeland e o presidente Durcesio Mello estão tendo por conta de uma herança pesada deixada pelo antigo Comitê Executivo. Os quatro citados acima têm contrato até dezembro de 2021. Há também fotos de Gustavo Cascardo, Lecaros e Kalou treinando – só o primeiro tem contrato mais curto, encerrando-se em maio.

A nova gestão do Botafogo adotou um procedimento correto para evitar problemas jurídicos, que é deixar todos treinando com o elenco. Colocá-los em horários alternativos poderia gerar processos na Justiça. Por outro lado, para não correr o risco de se repetir justamente o que o antigo Comitê fez, praticamente todos que chegaram assinaram contrato até dezembro – a exceção é Carli, que fechou até 2022.

É uma corrida contra o tempo. Kalou, por exemplo, se ficar até o fim do ano, vai custar cerca de R$ 4 milhões a mais para o clube. O marfinense quer algo em torno de R$ 1,6 milhões, e o Botafogo negocia para reduzir esse percentual. Ainda tem o caso dos goleiros Gatito Fernández e Diego Cavalieri, que estão lesionados e têm salário alto, enquanto Douglas Borges e Diego Loureiro vêm assumindo a bronca.

Demora para sair

Até mesmo quem tem proposta está demorando para sair. Rafael Forster tem acordo encaminhado com o Juventude, mas o Ludogorets está criando empecilhos. Isso mostra a dificuldade gerada por conta de contratos mal-feitos na antiga gestão.

A situação de Kevin também chama a atenção: o jogador foi titular no Campeonato Brasileiro, jogou a primeira partida do Carioca, ficou no banco na segunda, mas deixou de ser relacionado – oficialmente – por conta de dores musculares. Seus empresários estudam alternativas e ele pode sair.

Resultado: elenco inchado

O que resulta disso tudo? Um elenco inchadíssimo, de 38 jogadores, que ainda vai receber mais gente. Já foram nove reforços, e o décimo deve ser Ricardinho, do Ceará. Há ainda a expectativa pela chegada de laterais e atacantes. Técnico nenhum do mundo gosta de trabalhar com um elenco tão grande, e isso só atrapalha.

Confira o atual elenco do Botafogo:

Goleiros: Andrew, Diego Cavalieri, Diego Loureiro, Douglas Borges e Gatito Fernández
Laterais: Barrandeguy, Guilherme Santos, Gustavo Cascardo, Hugo, Jonathan, Kevin e Lucas Barros
Zagueiros: Carli, Gilvan, Kanu, Marcelo Benevenuto, Rafael Forster e Sousa
Volantes: Kayque, Luiz Otávio, Matheus Frizzo, Pedro Castro, Rickson, Romildo e Zé Welison
Meias: Cesinha, Felipe Ferreira e Marcinho
Atacantes: Davi Araújo, Ênio, Kalou, Lecaros, Matheus Babi, Matheus Nascimento, Rafael Navarro, Rhuan, Ronald e Warley

Fonte: Redação FogãoNET

Notícias relacionadas