As imagens do Maracanã praticamente vazio na partida entre Fluminense e Resende, nesta quarta-feira, no Maracanã, foram o fiel retrato de um cenário que se repete ano após ano. Embora o presidente da Federação de Futebol do Rio (Ferj), Rubens Lopes, chegue a considerar o Estadual mais rentável do que a Libertadores, a fria realidade dos números é bem diferente para os quatro grandes.

Das 16 partidas realizadas por Flamengo, Fluminense, Vasco e Botafogo, apenas cinco apresentaram balanço positivo. No total, o Rubro-negro arrecadou pouco mais de R$ 100 mil até o momento no campeonato, cerca de cinco vezes mais do que o Tricolor, que faturou pouco mais de R$ 21 mil.

A situação de Vasco e Botafogo é de penúria. O Alvinegro é, até agora, quem mais perdeu na competição. Do total de mais de R$ 260 mil de prejuízo, somente na partida contra o Bangu, pela segunda rodada, em São Januário, o clube ficou devendo R$ 80.264,04.

Pelo regulamento, lucro e prejuízo são divididos entre os clubes, mas os quatro grandes quase sempre saem perdendo. Se o time pequeno não puder atuar em seu estádio e houver prejuízo na partida, o que quase sempre acontece, a despesa cabe ao grande, mesmo que ele não seja o mandante.

 

Foto: Arte de Felipe Nadaes

Nem jogando em casa, o Vasco consegue escapar de perdas na arrecadação. Contra o Friburguense, por exemplo, a goleada por 6 a 0 deu tranquilidade ao time, mas deixou um rombo de quase R$ 60 mil nos cofres do clube. O prejuízo vascaíno já está perto dos R$ 160 mil nas quatro partidas disputadas na competição.

O Estadual também é um fracasso de público. Pouco mais de 73 mil pessoas pagaram ingressos para ver as partidas do quatro grandes do Rio, número insuficiente sequer para lotar o Maracanã, que pode receber até 78 mil torcedores atualmente.

O estádio recebeu até o momento 51.474 torcedores (41.793 pagantes) nas quatro partidas disputadas: duas pelo Flamengo (contra Audax e Caxias) e duas pelo Fluminense (contra Bonsucesso e Resende).

Fonte: Extra Online