Em 2019, o Flamengo desembolsou R$ 190 milhões para contratar e montou um elenco estrelado. Não à toa, lidera o Campeonato Brasileiro e está nas semifinais da Conmebol Libertadores. E a diferença econômica tem colocado o Rubro-Negro em um patamar acima dos rivais cariocas Botafogo, Fluminense e Vasco da Gama.

Durante a feira Brasil Futebol Expo, que tem apoio do FOX Sports na mídia, o ex-zagueiro Gonçalves, campeão brasileiro em 95 pelo Glorioso e da Copa América e das Confederações em 1997 pela Seleção Brasileira, falou com exclusividade ao FOXSports.com.br sobre a disparidade do Rubro-Negro no futebol carioca.

“Bom, a realidade é que o Flamengo tem uma vantagem muito grande em função do poder econômico, da vantagem financeira que ele tem em relação aos outros três grandes. Se bem que, quando se fala em Campeonato Carioca, quando essas três equipes quando jogam entre si, ainda existe um equilíbrio. Vimos isso na última edição. O Flamengo conquistou, mas não conquistou de ponta a ponta. Alguns clássicos venceu, outros empatou. Mas, sem dúvida, hoje, no Rio de Janeiro, é o clube a ser batido. Em função da forte estrutura que montou, com os recursos econômicos que tem atualmente, que possibilita contratar os melhores jogadores, pagando em dia, oferecendo melhores condições de trabalho”, afirmou.

“Botafogo, Vasco e Fluminense estão buscando melhor suas estruturar para que possam fazer frente ao grande adversário que é o Flamengo. Ainda vejo uma diferença muito grande no aspecto estrutural e organizacional do Flamengo para o Vasco, que precisa de um CT novo, de remodelar seu estádio. O Botafogo tem um bom estádio, mas precisa de um CT com uma estrutura melhor, de maior qualidade. O Fluminense ainda está finalizando e ampliando seu CT. São estruturas básicas que os clubes do Rio já eram para ter há bastante tempo e que não conseguiram em função das dívidas e dificuldades econômicas que vem atravessando ao longo dos anos. A tendência é que o Flamengo continue não só dentro do Rio de Janeiro, mas no cenário nacional, como uma das grandes potências do nosso futebol brasileiro em função da grande estrutura que tem hoje em dia e do aspecto financeiro que é muito acima de muitos clubes do futebol brasileiro”, finalizou.

Saiba como anda a vida do ex-zagueiro Gonçalves após pendurar as chuteiras:

Bom, atualmente estou morando e trabalhando nos Estados Unidos. Há dois anos, depois de uma experiência como gestor do departamento de futebol profissional do Avaí em 2016. A gente conseguiu o acesso à primeira divisão. Em 2017 eu já vinha planejando junto com a família, até em função do cenário do futebol nos Estados Unidos, com a realização da Copa do Mundo em 2026. Eu me mudei para lá e a gente está desenvolvendo um trabalho de consultoria esportiva, se aproximando dos clubes da MLS, promovendo e vendendo uma plataforma de avaliação de performance de atletas, a gente tem o objetivo de contribuir com a nossa experiência, com o nosso trabalho, com o nosso know-how para a evolução do futebol dos atletas dos EUA. E está sendo uma experiência bacana. Não deixo de vir ao Brasil. Venho ao Rio de Janeiro a cada três meses para poder estar presente na minha escola de futebol, que funciona há 23 anos na Barra da Tijuca. Eu tenho lá meus professores, coordenadores que tocam a escola na minha ausência. Eu venho visitar a cada três meses para avaliar os meus atletas utilizando esta plataforma de avaliação que eu estou representando, promovendo e vendendo para os clubes, academias e universidades nos EUA. Continuo vivendo dentro do futebol. Me aprimorando dentro do conhecimento. Sempre que tem esses eventos, eu me envolvo, aqui no Brasil e agora nos EUA também. Para que possamos ter cada vez mais ter condições de estarmos inseridos nesse meio do futebol, tanto aqui no Brasil quanto lá fora.

Fonte: Fox Sports