Maior ídolo contemporâneo do elenco atual do Botafogo, a volta de Jefferson é muito representativa. Primeiro por se tratar de um atleta que tem quase dez anos de clube, contando apenas o período pós-retorno, em 2009. Segundo por conta da trajetória com duas lesões e 14 meses sem jogar no seu período fora. E os dois jogos da capitão botafoguense neste Brasileirão são animadores.

Contra o Atlético-MG, o arqueiro defendeu tudo – incluindo pênalti e bola cara-a-cara com Robinho – e acabou sendo o responsável pelo ponto do Botafogo. Na última quarta-feira, contra o Fluminense, Jefferson acabou sendo pouco exigido, mesmo com boa defesa em cobrança de falta de Scarpa, no final.

E essa volta surpreendente – pelo tempo fora, e não pela notória qualidade do ex-Seleção Brasileira – já causa o questionamento sobre a titularidade na meta alvinegra, que tinha um Gatito Fernández em grande fase. O paraguaio – que estava se recuperando de cinco pontos no joelho – foi poupado nos últimos jogos e deve ficar à disposição contra o Sport, nesta próxima segunda-feira, no Nilton Santos. Fica a dúvida para Jair Ventura, que brinca sobre a situação.

– Sobre Gatito e Jefferson… eu queria ter essa dor de cabeça em todas as posições – completou o comandante alvinegro na coletiva depois do clássico.

Com o triunfo no Clássico Vovô, o Botafogo chegou aos 19 pontos conquistados no Brasileirão. Na rodada do final de semana, o Alvinegro encara a equipe pernambucana no Nilton Santos, com uma vitória podendo levar o time ao G6.

Fonte: Terra