Joel Carli chegou quase desconhecido ao Botafogo para se tornar um dos principais astros do time. No entanto, um drama familiar quase forçou o defensor argentino a deixar o mundo do futebol: o suicídio do irmão Nicolás.

Nicolás, que foi sempre próximo de Carli, sofria de depressão e esta acabou resultando na decisão de tirar a própria vida. O choque com a morte do irmão fez com que o zagueiro considerasse se afastar do futebol e ficar mais perto da família. Na época, o botafoguense atuava pelo Quilmes (ARG), em 2012,

“Já morava longe da minha família por causa do futebol e quando aconteceu isso, pensei nos meus pais e no meu outro irmão (Ariel) e falei para minha esposa que não queria mais seguir (com a carreira). Disse que queria ficar com minha família, meus amigos. Pensei muito em deixar o futebol e voltar para minha cidade. Falei com meus companheiros e o técnico do Quilmes e decidiram me dar um tempo para descansar”, disse o jogador do Botafogo em entrevista ao Globoesporte.com.

O tempo afastado foi suficiente para que Carli decidisse não encerrar a carreira e seguir no futebol. Uma decisão que o fez chegar até o Botafogo e se tornar um ídolo da torcida. Tudo para honrar a memória de Nicolás.

“Futebol para muitos é esporte, mas para mim é meu trabalho. É quase tudo. Minha esposa sabe que sou jogador 24 horas por dia. Sempre vou agradecer a este esporte maravilhoso, Hoje, a cada sacrifício, tenho a lembrança do que deixei para trás. Estou morando em uma cidade maravilhosa, em um time grande. Mas tem um lado do jogador em que ele deixa muita coisa para trás: sua cidade, família, amigos… Sem dúvida, o Nicolás está comigo em cada estádio, em cada treino. Isso me dá muita força para superar qualquer situação”, afirmou.

Fonte: Torcedores.com