Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Jogos

Série B

20/06/21 às 16:00 - Aflitos

Escudo Náutico
NAU

X

Escudo Botafogo
BOT

Série B

17/06/21 às 19:00 - Do Café

Escudo Londrina
LON

2

X

2

Escudo Botafogo
BOT
Ler a crônica

Série B

13/06/21 às 16:00 - Raulino de Oliveira

Escudo Botafogo
BOT

3

X

0

Escudo Remo
REM
Ler a crônica

Hoje ‘sheik’ nos Emirados, ex-Bota lembra Joel imitando Tyson e histórias hilárias

0 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

O atacante Caio ficou conhecido por fazer gols decisivos pelo Botafogo no Campeonato Carioca de 2010. Apelidado de “Talismã” pela torcida, ele conta que a conquista do Estadual foi marcante por quebrar uma série de derrotas em finais e acabar com as gozações dos rivais.

“Aquele título estava engasgado na garganta. O lance do chororô enchia o saco da gente (risos). Qualquer piadinha alguém soltava isso. Os caras mais antigos que viveram tudo aquilo ficavam ainda mais incomodados com essa história”, contou o jogador do Al Wasl, dos Emirados Árabes, ao ESPN.com.br.

A campanha do time alvinegro começou difícil na Taça Guanabara e teve mudança no comando logo no final de janeiro. Após levar uma goleada de 6 a 0 do Vasco, o técnico Estevam Soares saiu para a chegada de Joel Santana, conhecido por seu estilo folclórico.

“A gente ia jogar contra o Tigres-RJ e logo de cara ele chegou à academia do clube e falou: ‘O que passou, passou. Não tô nem aí se vamos jogar contra cobra ou jacaré, mas temos que ganhar. Daí um jogador falou: ‘O time é o Tigres, professor’ (risos). O Joel respondeu: ‘É tudo bicho, porra! Vão lá ganhar'”.

“Sou muito grato ao Joel. Além desse bom humor que ajuda a descontrair é um ótimo técnico e sempre acreditou em mim. Eu era um dos filhos dele”.

Caio gargalha ao lembrar as preleções do “Papai Joel”, que utilizava famosas figuras do esporte para motivar os atletas.

“Ele era sempre brincalhão nas palestras. Um dia, imitava o Mike Tyson. Dizia que a gente tinha que ir para cima e destruir o adversário que nem ele fazia (risos). Na outra, ele ficava de pé e começava a golpear o ar simulando o Muhammad Ali e falava: ‘Você precisa pegar o adversário e dar duas porradas embaixo e um soco em cima para ele ir pra lona (risos)'”.

Com seu estilo paizão, o treinador conquistou os jogadores e levou a equipe até a semifinal da Taça Guanabara. Com um gol de Caio, o Botafogo venceu o Flamengo por 2 a 1 e reencontrou o Vasco na final.

Desta vez, porém, o time de General Severiano bateu o adversário por 2 a 0 e conquistou o 1º turno da competição. “O Maracanã estava lotado. Eles tinham Carlos Alberto, Dodô e Coutinho, mas vencemos”.

Na Taça Rio, o atacante apareceu novamente e fez o gol decisivo na vitória por 3 a 2 sobre o Fluminense. “Quando eu estava no banco e a torcida gritava meu nome para entrar era especial. Aí no Brasil sempre lembram da história do talismã”.

O Botafogo bateu o Flamengo na decisão por 2 a 1 e venceu o Campeonato Carioca de forma direta. “Nosso título foi algo muito marcante por causa da rivalidade”.

Notícias relacionadas
Comentários