Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Jogos

Carioca

25/04/21 às 00:00 - Nilton Santos

Escudo Botafogo
BOT

X

Escudo Macaé
MAC

Carioca

17/04/21 às 16:00 - Maracanã

Escudo Fluminense
FLU

1

X

0

Escudo Botafogo
BOT

Copa do Brasil

14/04/21 às 21:30 - Frasqueirão

Escudo ABC
ABC

1

X

1

Escudo Botafogo
BOT

Húngaro ignora jovem de R$ 64 mi e se fortalece por aposta em ‘herói’ do Bota

0 comentários

Compartilhe

A vitória por 4 a 0 sobre o Deportivo Quito na última quarta-feira fez os mais de 50 mil botafoguenses explodirem de alegria no Maracanã, o elenco vibrar como se fosse um título dentro de campo e ainda consagrou o jovem Wallyson, autor de três gols na goleada que garantiu o Alvinegro na fase de grupos da Copa Libertadores. O jogo, porém, foi especial e fundamental na caminhada de outro personagem: o técnico Eduardo Húngaro.

Aflito, pressionado e ciente do tamanho da importância do jogo para seu futuro no clube, ele viu, da beira do campo, sua opção ser decisiva no duelo. Tudo porque o treinador “ignorou” uma possível escalação da promessa Daniel, que teve seu contrato renovado recentemente com uma multa rescisória de R$ 64 milhões, e apostou todas as fichas no herói improvável Wallyson.

O resultado não poderia ser mais confortante. Além da vitória e da vaga, ele se fortaleceu com um técnico que já vinha sendo questionado por parte da torcida.

“Wallyson é um jogador que mostrou em poucos treinos que nos daria uma situação diferente. Precisávamos utilizá-lo, apesar de ter chegado depois. Ele teve uma grande atuação, fez três gols e esperamos que dê continuidade”, explicou Húngaro.

A dúvida na escalação se fazia presente porque o comandante alvinegro havia decidido por um time mais ofensivo. Se no jogo de ida, no Equador, a opção foi por três volantes, para o confronto de volta a ordem era partir para cima. No entanto, ele ousou: no lugar de um meia, lançou mão de um atacante.

No último final de semana, ao projetar o confronto decisivo da Libertadores, ele não titubeou. “O Daniel é o mais entrosado com o grupo. Ele é o favorito para a vaga”, disse, mostrando o quão improvável era sua aposta que acabou dando certo.

Preferido de comissão técnica e diretoria há poucos dias, Daniel nem sequer entrou em campo no segundo tempo. Eduardo Húngaro optou por Henrique, Rodrigo Souto e Elias.

E assim deverá ser pelo menos nos próximos jogos. “Se tirar ele [Wallyson] do time, vou ser chamado de louco. Tudo indica que ele vai começar jogando, sim [primeiro jogo da fase de grupos, contra o San Lorenzo]”, revelou o técnico do Botafogo.

Antes de se concentrar na estreia da fase de grupos, na próxima terça-feira, o Botafogo se concentra na partida do sábado, às 17h, contra o Friburguense, em Macaé, pela sétima rodada do Campeonato Carioca.

“Temos que pensar nisso. Mas ainda nem resolvemos nada. Vamos conversar e ver quem vai para o jogo. Temos que analisar quem está bem ou não”, finalizou Húngaro, agora fortalecido, e tranquilo para suas próximas opções.

Comentários