São muitas as mudanças do Botafogo versão Felipe Conceição em relação ao time do ano passado. Além da já batida questão tática, há as peças. Sem dúvidas, o jogador de linha que mais perdeu espaço nesta virada de ano foi o volante Rodrigo Lindoso.

Sexto atleta que mais atuou pelo clube 2017, com 53 jogos, o meio-campista soma apenas 43 minutos em campo nesta temporada. Na partida contra a Portuguesa, a primeira do time no ano, ele foi apenas a quarta opção do treinador e ficou no gramado apenas sete minutos.

Na partida seguinte, contra o Fluminense, foi o primeiro a entrar no segundo tempo. Ele substituiu Valencia, mas jogou fora de posição, mais adiantado, por 36 minutos. Depois, não jogou mais. Contra o Macaé, ele foi banco, mas não foi utilizado pelo treinador. Nas duas últimas partidas, a vitória contra o Boavista e o empate sem gols diante do Madureira, nem no banco de reservas ficou.

Momento que contrasta com 2017. Além de ter sido muito escalado, ele marcou cinco gols pelo Botafogo, um recorde pessoal e chegou a cem jogos pelo Glorioso.

Esquema não favorece?

E a julgar pela formação tática, a tendência é que o meio-campista de 28 anos siga em baixa. Isso porque o treinador usa um esquema com apenas um volante de origem. Há ainda que se destacar o crescimento de Dudu Cearense. Autor de uma bola na trave contra o Madureira, seu concorrente por posição, que pouco jogou ano passado, curiosamente, atuou só nós três jogos que Lindoso não foi utilizado.

Marcos Vinicius: esquecimento após gol salvador

Outro que perdeu espaço nas últimas partidas foi o meia Marcos Vinícius. Ele jogou ainda menos que Lindoso: 20 minutos, todos no empate de 2 a 2 contra a Portuguesa, partida onde entrou no final e marcou o gol do empate. O tento serviria para ele ter mais oportunidades? Certo? Errado.

Nas partidas contra Fluminense e Macaé, o treinador Felipe Conceição ainda podia fazer cinco mudanças. Contra o Tricolor, fez só três – nenhuma foi Marcos Vinícius. No jogo de cinco dias depois, agora sim, fez as cinco, mas novamente não optou pelo jogador, que também atua pelo lado dos campos.

Para complicar a situação do jogador, que se machucou momentos antes do triunfo sobre o Boavista e não voltou ainda, também há uma forte concorrência no setor, assim como acontece com Lindoso. Marcos concorre com João Paulo, Leo Valencia, Luiz Fernando, Renatinho, Leandro Carvalho, Lucas Fonseca e Rodrigo Pimpão. Em 2017, Marcos Vinícius fez 25 jogos e cinco gols pelo Botafogo.

Fonte: Terra