A vitória do Botafogo sobre a Chapecoense nesta quinta-feira (26) foi a primeira de Marcos Paquetá como técnico do clube. O lateral-esquerdo Gilson contribuiu com o resultado atuando improvisado no meio-de-campo, uma posição diferente da habitual.

O jogador chegou a atuar em posicionamento semelhante na época que Jair Ventura comandava o Glorioso. Após a partida, o atleta falou do fato de jogar improvisado na posição e sua contribuição para a vitória contra a Chape.

“A vitória nos dá um pouco de tranquilidade, mas sabemos que nós precisamos melhorar e errar menos, porque o Brasileirão é muito difícil. Todo atleta tem que estar participando. O Paquetá conversou comigo, pois ele sabia que eu já tinha jogado nessa posição. Acho que cumpri o meu papel taticamente. Me deixa feliz porque meu trabalho é reconhecido. Como lateral, sei o que o lateral gosta e procurei ajudar o Moisés”, disse Gilson segundo o Globoesporte.com

Apesar da vitória, a torcida vaiou o time no intervalo e a comemoração do gol de Marcinho serviu como uma tentativa de ‘desabafo’. O lateral do Botafogo comentou e lamentou as vaias e também a invasão de alguns torcedores à sede do clube durante reunião do Conselho Deliberativo.

“O Paquetá procurou consertar alguns erros. Não gostamos de ser vaiados, gostaríamos de ter vencido já no primeiro tempo. Entendemos o torcedor e tentamos acertar as coisas nos vestiários”, comentou.

“Na verdade, ninguém gosta dessa reação da torcida. Torcedor é motivado por paixão, mas é preciso cobrar de forma pacífica. Temos que procurar jogar bem e trazer a torcida para o nosso lado”, completou Gilson.

Fonte: Torcedores.com e Globoesporte.cm