Flamengo e Botafogo entram em campo neste domingo, às 16h, e a pressão em cima dos técnicos é grande. Os últimos resultados das equipes ficaram aquém da expectativa e, assim, um resultado positivo no clássico tornou-se fundamental para os times recuperarem a confiança antes de decisões pela Libertadores e Sul-Americana, nas quais os clubes estão em desvantagem.

Sob o comando de Jorge Jesus, o Flamengo foi eliminado pelo Athletico na Copa do Brasil, nos pênaltis, após dois empates. Na Libertadores, o time perdeu por 2 a 0 em Guayaquil e está em situação complicada: precisa vencer por três gols de diferença no Maracanã, na quarta. Contudo, o Rubro-Negro segue entre os primeiros do Brasileirão e não quer ver a distância para os líderes aumentar.

O desafio de Jorge Jesus também pela por encontrar soluções dentro do elenco rubro-negro. As lesões tiraram Diego, Everton Ribeiro, Arrascaeta e Vitinho do “leque de opções” do português, que promete escalar força máxima. O meio de campo pode ter novidades, mas os treinos fechados mantiveram o mistério.

Com a iminente transferência de Léo Duarte para o Milan, da Itália, a defesa também pode ser alterada. A expectativa é pela estreia do espanhol Pablo Marí.

No Botafogo, à medida que cresce o otimismo da torcida quanto à aprovação da parceria com os irmãos Moreira Salles, que pode render um novo horizonte financeiro ao clube, dentro de campo nem tudo tem fluído da forma como todos gostariam. Outrora uma das sensações do Brasileiro, desde o retorno da Copa América o Alvinegro desandou. Dois jogos, um empate e uma derrota. Na Sul-Americana, perdeu para o Atlético-MG. Nenhum gol marcado no período.

O “barroquismo” desapareceu. A falta de gols coloca em xeque o potencial do técnico, ciente do primeiro momento de pressão por resultados sob seu comando. Na quarta, enfatizou que é necessário “calar a boca e trabalhar”.

De qualquer forma, não vai fazer nenhuma ruptura no time titular. Sem Erik, vendido ao futebol japonês, a tendência é que o contestado Pimpão seja titular ao lado de Diego Souza e Luiz Fernando. Na lateral esquerda, a aposta é em Jonathan para substituir Gilson, suspenso pelo cartão vermelho que recebeu diante do Santos. No mais, os nomes conhecidos de sempre: Gatito, Marcinho, Carli, Gabriel, Alex Santana, João Paulo e Cícero completam o onze inicial.

Depois de enfrentar o Flamengo, o Glorioso terá uma árdua missão em Belo Horizonte a fim de avançar às quartas da Sul-Americana: vencer o Atlético-MG no Independência. Na ida, o Galo venceu por 1 a 0 no Estádio Nilton Santos.

Fonte: Terra