As quatro vitórias consecutivas do Botafogo apagaram qualquer possibilidade de ressaca pela eliminação na Libertadores. Em 6º lugar, com 40 pontos, o clube colocou como meta a volta à competição continental ano que vem. Internamente, o objetivo é terminar entre os quatro primeiros no Brasileirão, para fugir das fases preliminares da Libertadores. Mas há quem sonhe mais alto.

O líder Corinthians tem estado vacilante no segundo turno. Nas últimas quatro rodadas, as mesmas que o Botafogo obteve um aproveitamento de 100%, o Timão conquistou apenas quatro pontos, vendo a vantagem para o alvinegro carioca cair em oito pontos. Sem outra competição paralela e com o Glorioso focado apenas no Brasileirão, o goleiro Gatito Fernández já vê o clube com chances de incomodar os líderes.

“Passamos [a pensar em título]. A gente está focado e se a gente conseguir essa série de vitórias, a gente consegue se aproximar do Corinthians. Por que não pensar no título? Corinthians tem jogos difíceis pela frente”, disse o goleiro alvinegro.

Ainda em busca de um título para coroar a bela temporada alvinegra, o técnico Jair Ventura compartilha da opinião de seu arqueiro.

“Eu fiquei com o coração partido quando fomos eliminados na Copa do Brasil e na Libertadores porque a gente sabe que é difícil você repetir o grupo no ano seguinte. A gente queria um título para coroar esse grande trabalho. O Brasileiro está muito distante, mas quem sabe? A gente tem nossa meta de fazer sempre o melhor jogo a jogo”, avaliou o treinador, em entrevista à edição carioca do Donos da Bola, na Band.

Para isso, o alvinegro necessitaria da maior arrancada rumo ao título da história dos pontos corridos. Em 2009, o Flamengo estava oito pontos atrás do líder Palmeiras na 25ª rodada. Hoje, o Botafogo está 14 pontos atrás do líder Corinthians. Apesar de a distância ser quase o dobro do recorde rubro-negro, Jair acredita nas histórias fantásticas do futebol para realizar a façanha.

“Lógico. No futebol tudo é possível. Difícil, mas é possível sim. Principalmente agora com a saída de alguns clubes da Libertadores. É difícil porque o Corinthians é muito regular. Apesar dessa oscilação, a performance não condiz com os resultados. No futebol a gente já viu cada coisa…”, acredita o treinador.

Fonte: Torcedores.com