De acordo com Jair Ventura, a saída de Sassá do Botafogo foi decretada pensando no bem coletivo do elenco. Em entrevista ao “SporTV”, o técnico admitiu a perda técnica com a baixa do atacante, mas explicou que era necessário tomar tal atitude para não perder o grupo.

“A perda técnica do Sassá é muito grande dentro da realidade financeira. Eu perco o jogador, mas não posso perder o grupo. O coletivo é maior que o individual. Quem é mais importante? Você tem que tomar decisões. Não vou falar que o Sassá não faz falta. Faz falta, mas o grupo é mais importante”, disse Jair.

Mesmo com a saída do atacante, o treinador não acredita que o problema de seu setor ofensivo seja a falta de qualidade. De acordo com Jair, às vezes falta calma para seus jogadores no momento da finalização.

“A gente perdeu para o Barcelona em casa e tivemos 16 oportunidades. Falta a gente ser mais frio. A gente está criando e está desperdiçando. Quando os jogadores tiverem a confiança com que o Jô está hoje, quando o Roger voltar a marcar, o Pimpão… É fase. Tem que ser gelo na frente do goleiro”, afirmou o comandante.

Fonte: UOL