Praticamente rebaixado para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro, o Botafogo vive momento delicadíssimo na competição e ainda restam três partidas para o encerramento da mesma. A derrota para o Figueirense no Rio durante a semana dificultou a situação do clube, que já vinha em decadência há um certo tempo. O goleiro Jefferson, líder do time, falou que o elenco se sentiu enfraquecido depois da decisão da diretoria em demitir Edilson, Emerson Sheik, Bolívar e Julio Cesar.

“A partir do momento em que o Botafogo deixou de cobrar, foi aí que começou a cair. Porque o filho que você ama, você corrige, cobra, dá puxão de orelha. Então, a partir do momento em que os jogadores pararam de cobrar, é como se… Ah, então, entre aspas, ficou tudo elas por elas. A partir do momento em que a gente estava cobrando, assumindo a responsabilidade, o time estava envolvido. A partir do momento em que começou a minar um, minar outro, ameaçar um, ameaçar outro, o Botafogo começou a perder força”, declarou em entrevista ao Esporte Espetacular.

Em seguida, foi mais específico sobre a saída dos quatro atletas. “Com certeza, com todo o currículo que esses quatro jogadores têm, com certeza eles acrescentariam bastante para esse grupo aqui”, completou.

Fonte: FutNet