A falha de Jefferson chamou a atenção na derrota do Botafogo por 2 a 1 para o Coritiba, domingo, no Couto Pereira. A cabeçada de Deivid passou por baixo de suas pernas em uma tentativa de encaixar a bola. Foi o primeiro gol do adversário, que chegou a abrir 2 a 0 no placar.

O resultado complicou a vida do Botafogo na busca por uma vaga na Taça Libertadores. O time não depende mais de seu resultado no confronto com o Criciúma, domingo, no Maracanã. Mesmo assim, Jefferson disse ter sido bem recebido pelos torcedores desde a volta ao Rio na segunda-feira.

– Está normal. Saio na rua, no clube. não tem muito o que falar. Foi um lance que pode acontecer com todos os goleiros. Tive muita maturidade. Fiz um grande jogo na minha opinião. Vida de goleiro é assim. Pelo que represento aqui, todos sabem do profissionalismo e, quando se é profissional, vai ter sempre crédito. Todos os jogadores ja perderam gols, pênaltis. É vida que segue – comentou Jefferson.

Domingo, para conseguir a vaga na Libertadores, o Botafogo precisa vencer o Criciúma e torcer por um tropeço do Goiás contra o Santos e uma derrota do Atlético-PR para o Vasco. Se terminar em quarto lugar no Brasileiro, ainda terá que secar a Ponte Preta na final da Copa Sul-Americana na próxima quarta-feira.

– Vi um pedaço (do primeiro jogo da Ponte Preta, que terminou 1 a 1 no Pacaembu), mas chegou o momento de fazermos a nossa parte. Dependíamos de nós, mas só olhávamos para trás. Agora, é questão de honra vencer o Criciúma. Se Deus tiver preparado coisas boas para nós, que tenho certeza que tem, estaremos na Libertadores – afirmou Jefferson.

Fonte: Globoesporte.com