Quanto mais a diretoria do Botafogo tenta justificar a demissão do técnico René Simões, ocorrida há duas semanas, mais ela se enrola. Domingo, durante o programa “Enquanto a bola não rola”, o ex-treinador e o presidente Carlos Eduardo Pereira travaram uma educada discussão. O dirigente, mais uma vez, reiterou que o não aproveitamento de jogadores formados na base foi um dos pontos que mais influíram na decisão de trocar o comando do futebol.

Pois bem, nesta terça-feira, o clube anunciou que o novo técnico Ricardo Gomes, afastou cinco jogadores que não vinham sendo utilizados, para diminuir o elenco alvinegro, atualmente com quase 40 jogadores. E, para a surpresa geral, os cinco foram formados nas divisões de base. São eles: Cidinho (meia), Andreazzi (volante), Jefferson Paulista (meia), Sidney (volante) e Milton Raphael (goleiro).

Também na terça-feira, em entrevista ao programa “Seleção”, do Sportv, o presidente tentou explicar o que, a princípio, é uma incoerência. Medindo bem as palavras, Carlos Eduardo Pereira disse que Cidinho e Andreazzi ainda estão no plano. Mas não soube dizer qual será o futuro dos outros três.

– Não há essa qualificação de afastamento. Fica parecendo que o atleta foi alijado do elenco e não faz mais parte. Andreazzi e Cidinho têm sofrido muitas contusões. Eles vão receber uma atenção especial e um preparo direcionado para a solução dos problemas físicos que vêm enfrentando – disse o dirigente.

O curioso é que Jeferson Paulista e Sidney foram citados nominalmente pelo presidente, no domingo, como jogadores que o clube tinha interesse em ver jogando, já que tem participação no passe dos atletas.

– Ninguém da diretoria disse para ele (René Simões) escalar ninguém. Sempre foi pedido que ele observasse e desse atenção especial a alguns atletas, como André, Fabiano, Jeferson e Sidney. Jamais recebi um relatório sobre estes jogadores – afirmou o cartola, há três dias, à Rádio Globo.

O fato é que Ricardo Gomes não conta mais com os cinco.

Fonte: O Globo Online