Júlio César relembra crise em 2014 e não entende até hoje demissão do Botafogo: ‘Ele queria mandar o Jefferson embora também’

0 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Júlio César relembra crise em 2014 e não entende até hoje demissão do Botafogo: ‘Ele queria mandar o Jefferson embora também’
Wagner Meier/AGIF/BFR

Um dos personagens da crise que assolou o Botafogo em 2014, decretando o rebaixamento à Série B, o ex-lateral-esquerdo Júlio César disse até hoje não entender a demissão pelo presidente Mauricio Assumpção ainda com o Campeonato Brasileiro em andamento. Um dos líderes do elenco nas manifestações de insatisfação por conta dos constantes atrasos salariais, ele foi mandado embora junto com Bolívar, Emerson Sheik e Edilson.

– Muitas promessas não foram cumpridas, e com tudo isso estávamos ali correndo, treinando… No segundo semestre chegou o Vagner Mancini e outros jogadores, e os mesmos problemas salariais. Jogadores da base sem dinheiro, a gente ajudava, não tinha gelo depois do treino e tirávamos do nosso bolso para comprar. De tantas promessas, o presidente não andava mais pelo Engenhão, não havia mais reunião com ele, não aparecia. Por que ele fez isso com nós quatro? Muita gente não sabe, mas ele também tinha mandado o Marcelo Mattos embora. Ele estava machucado, mas estava tratando em São Paulo se não me engano. Depois ele acabou voltando… – relembrou, em entrevista ao canal “BrauneFogo“, do jornalista Daniel Braune.

‘Ele começou a atingir o Jefferson’

Júlio César disse que Mauricio Assumpção também queria mandar o goleiro Jefferson embora, mas não conseguiu pelo fato de se tratar de um grande ídolo da torcida:

– A grande verdade é que todo mundo ali dentro sabia que o presidente também queria o Jefferson junto, mas ele era ídolo da torcida e tinha muita força. Ele começou a atingir o Jefferson de outras maneiras, mandou o preparador de goleiros embora, tirou pessoas que davam suporte ao Jefferson. Ele não ia mexer no Jefferson nunca e mexeu com nós quatro. Até hoje ninguém sabe o porquê. Já vi entrevista do próprio Mauricio e ele não explica. Se nem o presidente sabe por que mandou a gente embora, imagina eu? Pegou a gente de surpresa…

Naquela época, o Botafogo passou por um dos momentos mais controversos de sua história recente. Em 2013, já com Júlio César no time, montou uma equipe fortíssima, com direito à contratação de Seedorf, foi campeão carioca, quadrifinalista da Copa do Brasil e chegou a brigar na liderança no Campeonato Brasileiro, tendo obtido vaga na Libertadores. No ano seguinte, com as dificuldades financeiras e a debandada de jogadores, acabou sendo rebaixado para a Segunda Divisão.

– Perdemos jogadores importantes em 2013 e conseguimos ainda assim a vaga na Libertadores. No final do ano começaram as dificuldades: primeiro, a não-renovação com o Oswaldo (de Oliveira). O Duda (Eduardo Húngaro) era uma excelente pessoa, mas uma Libertadores para um clube do tamanho do Botafogo foi pesada para ele. Somado a isso tivemos a perda do Seedorf para o Milan e a saída do Rafael Marques. Isso foi crucial para desandar o primeiro semestre. Ainda assim fomos eliminados para o campeão da Libertadores (San Lorenzo) – recordou.

Assista ao vídeo da entrevista de Júlio César ao canal BrauneFogo:

Fonte: Redação FogãoNET

Notícias relacionadas