Em 13 jogos à frente do Botafogo, o técnico Alberto Valentim usou 16 jogadores diferentes do meio para frente. Um deles, no entanto, é muito especial. Leo Valencia foi titular em todas as ocasiões. É certo que nem tudo são flores na relação, mas a confiança do comandante no meia chileno está intacta.

A história começou, também, com pé direito. E literalmente, pois foi com ele que Valencia fez um golaço de falta na estreia de Valentim pelo clube, o segundo do Botafogo na vitória por 2 a 1 sobre o Nova Iguaçu, pelo Campeonato Carioca.

No capítulo mais recente, o chileno usou o mesmo pé para dar um drible desconcertante no volante Felipe Melo, durante o empate em 1 a 1 com o Palmeiras, segunda-feira, no Estádio Nilton Santos, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro.

A relação entre chefe e comandado pareceu dar uma estremecida na primeira partida da final do Carioca derrota por 3 a 2 para o Vasco, no Nilton Sanyos. Ao ser substituído, o chileno falou poucas e boas para Valentim, que não ficou calado. Nada mudou para o segundo jogo: Valencia voltou a ser titular e só não esteve em campo na hora do título porque foi expulso pouco antes de Carli fazer o gol da vitória por 1 a 0 que levou a decisão para os pênaltis.

NÚMEROS FAVORÁVEIS

O meia tem os números a favor também. Além do golaço na estreia de Valentim, ele deu três passes para gol. “O Leo é um jogador que está nos ajudando bastante, é um jogador que a gente conta para o restante da temporada”, disse Valentim após a vitória sobre o Audax Italiano, no Chile, semana passada, pela Copa Sul-Americana.

O lateral-direito Marcinho e o zagueiro Igor Rabello também foram titulares em todos os jogos sob o comando de Alberto Valentim no Botafogo.

Fonte: O Dia Online