Fila com centenas de torcedores, muitos autógrafos, “selfies” e até o nome tatuado no braço de uma fã. O status de ídolo que Jefferson atingiu no Botafogo pode ser medido pelo alvoroço que sua presença provoca. Estrela de uma noite de autógrafos, o goleiro assimilou o novo papel e foi atencioso com todos. Dentro de campo, ele também já se porta como líder. E toma como primeira missão conter a afobação dos mais novos com a estreia.

— Sábado a gente vai poder mostrar a cara do Botafogo. Só que muitos jogadores passaram por vários times e hoje estão no Botafogo. E às vezes eles estão ansiosos para mostrar serviço. Com o tempo, a gente vai tirando essa ansiedade e eles vão mostrando o talento deles, porque isso eles têm de sobra.

Com tantos jogadores que nunca atuaram juntos, a falta de entrosamento será inevitável. Por isso, ele aproveita o posto de ídolo e pede que a torcida tenha calma com o time.

— Olha, mudou bastante o elenco. Muitos jogadores do ano passado não ficaram com a gente. Tem que dar um tempo realmente para o Botafogo. Mas claro que agora a gente vai se cobrar mais dentro de campo.

Já combater o nervosismo dos companheiros com o início de uma temporada delicada para a história do clube é mais difícil. Tanto que ele tratou de chamar o grupo para uma conversa.

— Eu disse para eles que o elenco que a gente montou hoje é muito forte. Claro que é forte para a Série B. Mas dependendo do que cada um fizer, vai permanecer no ano que vem. Porque são de jogadores qualidade e é isso que eles têm que colocar na cabeça. Para muitos talvez seja a primeira passagem por um clube grande, mas têm que saber que todo mundo abraçou esses jogadores. Ninguém caiu aqui de paraquedas, todos t~em qualidades. Eu como capitão confio em todas as contratações do clube.

Jefferson será a principal estrela de uma série de ações de marketing. Ontem, foi inaugurado um minimuseu na loja do clube, com seus pertences e troféus. Apesar da falta de dinheiro que ainda impede o pagamento de salários, ele decidiu não se preocupar com o assunto no momento e, em nome do grupo, dar um voto de confiança à diretoria.

— Olha, para nós jogadores acho que é um momento muito especial que estamos vivendo. A gente está dando total crédito para a comissão técnica e a diretoria em relação a tudo o que eles prometeram para a gente. Eu, particularmente, já conversei com o presidente sobre a minha dívida e foi uma coisa que a gente já acertou. Não tem mais o que falar. Eu acredito no presidente. É um cara sério, preparado, que sabia de todas as dificuldades do clube e, mesmo assim, abraçou a causa. E nós, jogadores, de maneira nenhuma vamos pensar agora em salários. Vamos pensar nos jogos.

Palavra de líder.

Fonte: Extra Online