A Atlético-MG está muito perto de acertar a contratação do meia Maicosuel, da Udinese (ITA). Conversei com ele por telefone na tarde desta terça-feira. Pela primeira vez, o apoiador falou como novo reforço e revelou estar realizando um grande sonho com a transferência para o Galo.

“Vou realizar um grande sonho. Estar ao lado do Ronaldinho é algo que sempre quis. Vou jogar com o meu ídolo! Mesmo nos tempos de Botafogo, eu nunca escondi minha admiração por ele. Um cara que fez história no futebol. Como profissional, posso dizer que é um monstro!”

Maicosuel chega no sábado em São Paulo, onde vai passar alguns dias de férias ao lado dos familiares. Sempre muito sincero, ele respondeu sobre váriso assuntos. Confira abaixo!

IMINENTE ACERTO COM O GALO 

O que mais gostei foi a maneira como foi feita a negociação. Eles mostraram interesse e foram muito corretos. É um clube que simpatizo apesar de ter jogado no Cruzeiro. Sempre respeitei bastante. Tem um elenco muito qualificado e vem brigando por títulos. Eu e minha família estamos muito felizes.

TORCIDA ATLETICANA 

A torcida é algo impressionante. A paixão e entrega deles é algo que arrepia qualquer jogador. Espero poder ajudar. Em todos os clubes que passo, meu objetivo é permanecer muito tempo. É isso o que eu quero.

PASSAGEM NA ITÁLIA 

Gostei muito. Claro que queria que tivesse sido melhor. (Pergunto se o treinador da Udinese Francisco Guidolin tinha implicância com ele) Hum.. Não posso dizer que foi isso. Tive oportunidades, sim. E quando joguei, acho que fui bem. Aí, de repente, eu ficava quatro ou cinco jogos sem entrar. Nunca vi isso! Se alguém falar que eu treinava mal, é mentira. Até porque, treino aqui na Itália é que nem jogo. Ah, mas você brigou com alguém? Não! Era até chato quando me perguntavam isso. Difícil falar. Não tenho nada contra ele. Acho que guarda um rancor por conta do pênalti perdido logo quando cheguei…(Bateu com uma cavadinha na fase classificatória para a Champions League, em agosto de 2012, contra o Braga. A Udinense acabou eliminada.)

HOSPITALIDADE ITALIANA

Fui muito bem tratado aqui. Pra você ter uma ideia, os policiais da cidade foram na minha casa se despedir e agradecer o empenho. Queriam ter me visto mais em campo. O cozinheiro, roupeiro, e outros funcionários do clube me adoram. Gente humilde que sempre me elogiava, exatamente por ter as mesmas características. Não sei como não agradei o treinador. Meu jeito de ser é esse. Sou um cara simples.

ALVINEGRO, DE NOVO 

Pois é, né? (risos). Botafogo, clube que sempre vou gostar muito. Levo um carinho da Udinese e, agora, mais um alvinegro.

Fonte: Blog do Cláudio Portella - Fox Sports