A vantagem é mínima, como fez questão de lembrar o técnico Jair Ventura após a vitória por 1 a 0 sobre o Nacional-URU na quinta-feira. Muito mais sólido, por outro lado, é o estilo de jogo apresentado pelo Botafogo ao longo do ano, e ratificado no jogo de ida das oitavas de final da Libertadores.

Jair optou por manter Camilo no banco de reservas e escalou um meio-campo com quatro jogadores considerados volantes: Matheus Fernandes, Rodrigo Lindoso, Bruno Silva e João Paulo. Para o treinador, não tratou-se de uma opção defensiva.

Com João Paulo, autor do gol alvinegro em Montevidéu, o técnico diz ter conversado justamente sobre a importância de que os jogadores de trás avancem até a área, para que a força na marcação transforme-se em volume ofensivo. Algo que tem sido a marca do Botafogo. Foi assim, por exemplo, que Bruno Silva tornou-se artilheiro do time no Brasileiro.

– Conversei bastante com o João sobre a importância de o camisa 10 pisar na área. Ele era um 10 e acabou volante no nosso time, assim como o Lindoso. O que parece retranca para muitos, para nós são bons jogadores com condições de chegar na área – explicou Jair Ventura.

João Paulo confirmou a orientação do treinador de que chegasse mais à área adversária:

– É uma posição que fiz muito no início da carreira, com a função de encostar no atacante, mais centralizado. Pela dinâmica do futebol atual, tive que me reinventar. Essa ideia do Jair vinha de alguns jogos atrás e hoje (quinta-feira) ele me comunicou que ia jogar assim – explicou João Paulo.

Com seu estilo de jogo pautado pelo equilíbrio entre defesa e ataque, o Botafogo conseguiu manter-se estável na partida, sem deixar o Nacional-URU causar muitos problemas ao goleiro Gatito Fernández. Mesmo sem ter um elenco considerado farto, e dividindo-se entre três competições — Libertadores, Brasileiro e Copa do Brasil –, o uso racional de seus recursos em campo faz com que Botafogo siga sem dar sinais de esgotamento.

– Por muitos anos, o Botafogo não chegou numa fase tão importante da Libertadores. Nosso investimento não foi para suportar três competições desse porte. O time foi valente mesmo com um volume muito grande do adversário em campo – disse Jair.

O jogo de volta contra o Nacional-URU pelas oitavas de final da Libertadores acontece no dia 10 de agosto, no Estádio Nilton Santos. Pelo Brasileiro, o próximo compromisso do Botafogo será neste domingo, contra o Atlético-MG, também no Engenhão.

Fonte: O Globo Online