O Cruzeiro encara o Botafogo nesta quarta-feira (21) com praticamente os dois pés nas quartas de final da Copa do Brasil. Depois de fazer 5 a 2 na partida de ida, no Rio de Janeiro, a Raposa só sai do Mineirão eliminada se for derrotada por diferença de quatro gols. O placar é muito improvável, tanto que os clubes já se enfrentaram 86 vezes e o Alvinegro nunca conseguiu o resultado que precisa para avançar.

Em partidas oficiais, o maior resultado que o Botafogo conseguiu contra o Cruzeiro no Mineirão, local da partida desta quarta (21), foi na Copa Brasil, em fevereiro de 1978, quando venceu por 3 a 0, com gols de Mendonça, Gil e Nílson Dias. Em 2007, pelo Campeonato Brasileiro, o Glorioso fez 4 a 1 na Raposa, mas dessa vez em casa, no Engenhão. Entretanto, os placares apesar de elásticos não seriam suficientes para os cariocas avançarem.

O meia Robinho, porém, prefere não apostar nos números e no retrospecto. O jogador alerta para a qualidade do Botafogo e fala em “partida traiçoeira”.

“É um jogo traiçoeiro, a gente não pode achar que está decidido. Você vê que eles vieram aqui e fizeram 2 a 0 na gente. Imagina se fazem o terceiro gol. Espero que não venha com a equipe principal também. O Mano ainda não pensou na nossa equipe, mas deve ser a titular. É um jogo traiçoeiro, e temos que voltar a vencer. Temos que voltar a ter confiança de duas, três rodadas atrás. Esse jogo tem importância muito grande e temos que voltar às vitórias”.

O Cruzeiro recebe o Botafogo nesta quarta-feira (21), às 21h45 (de Brasília), no Mineirão, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. Se confirmar o favoritismo, a Raposa conhecerá o próximo adversário em sorteio realizado na próxima sexta-feira (23), na CBF.

Fonte: Esporte Interativo