Mancini comemora resultado e quer luta e empenho como características do Bota

Compartilhe:

Mais um jogo em casa no Campeonato Brasileiro, mais uma vitória do Botafogo. A sintonia entre time, torcida e estádio foi destacada por Vagner Mancini após o triunfo por 1 a 0 sobre o Santos, neste domingo, no Maracanã. O treinou elogiou principalmente a determinação dos jogadores e cobrou que se torne marca registrada.

Confira os principais trechos da entrevista coletiva de Vagner Mancini:

CONSTRUÇÃO DA VITÓRIA

– Passamos a desenhar a vitória a partir do momento que marcamos as duas laterais do Santos, com Rogério e Daniel. Eles tiveram que jogar por dentro, bloqueamos bem e usamos a velocidade. Durante o desenrolar do jogo, houve alternância de domínios, jogo disputadíssimo, de xadrez, mas essa mudança possibilitou que chegássemos com mais chance de finalizar.

– O jogo estava disputadíssimo e era fundamental administrar, quem saísse na frente. Era nítido que não sairiam muitos gols. O Santos tinha mais posse, mas finaliza pouco, nós éramos mais agudos. Contra o Ceará, faltou leitura de jogo. Hoje não. A equipe jogou, enxergou a partida, viu o que era necessário, voltou, bloqueou bem o Santos e teve oportunidades de fazer o segundo gol.

O BOTAFOGO QUE ELE QUER

– É esse. Eu, o torcedor do Botafogo e a imprensa. Quando você vê alma depositada em cada lance, hoje se viu diversos lances o time brigar por centímetros, o torcedor gosta, você se enche de confiança e tem mais chance de vencer. Quarta é fora de casa, estamos perdendo de 2 a 1, há a necessidade de se fazer gols, mas essa luta e o empenho têm que virar marca registrada.

BRUNO CORRÊA

– Bruno iniciou bem o jogo, tem mais movimentação que o Ferreyra, a equipe fica mais balanceada. Com a posse de bola, dá mais opções de jogo. Infelizmente, sentiu uma lesão e saiu, mas é mais um atleta que vai ajudar bastante até o fim do ano. Vão ser jogos em sequência, precisamos de um elenco que suporte tudo isso.

DANIEL

– O Daniel fez um belo gol, teve mais uma atuação excelente, vem se desenvolvenvo muito. Cobro muito dele e dos outros jovens, têm que estar abertos a ensinamentos. Sabemos o que vai passar. Há a necessidade de jogar com a bola, é veloz, de muita condução de bola, mas precisa ser mais participativo em determinadso momentos. Minha cobrança é para que não se desligue e tenha a confiança de partir para cima. O futebol está muito igual, há necessidade de jogadores que rompam barreiras de marcação. Ele, Sheik e Rogério têm liberdade para perder quantas bolas forem, desde que sejam objetivos e vão direção ao gol.

JEFFERSON NA SELEÇÃO

– Jefferson vai servir à Seleção Brasileira, tem que ser visto como uma honra. Não só pela manutenção dele lá, mas por representar a nossa equipe. Desejamos sucesso na Seleção nesse novo início de trabalho do Dunga. Ao mesmo tempo, temos o Andrey. Vai ter a oportunidade e não tenho dúvida que vai bem nos jogos. Tem muito talento, muito a viver no futebol, espero que comece a vitoriosa carreira agora.

A CARA DO BOTAFOGO

– Nossa equipe está desenhando a cara ainda. Pelo pouco tempo de trabalho, cinco meses, você não consegue dar a cara. Hoje temos um esboço bem feito. Ao longo desse tempo todo, houve a parada da Copa do Mundo, muitas mexidas na equipe. Hoje, acabamos tendo formação nova, assim como no jogo anterior. Não tenho dúvidas em dizer que daqui a pouco vamos chegar perto dessa cara. Ainda não somos consistentes no campeonato, por muitas vezes termos que mudar o sistema de jogo. Hoje, não temos uma equipe que joga da mesma forma dentro e fora da casa. Quando tivermos, o Botafogo vai encontrar sua cara.

SEQUÊNCIA DE VITÓRIAS

– É a primeira vez, desde fevereiro não fazia duas vitórias. Seis pontos significam um salto. Estávamos em 17º, hoje no 11º lugar. Há necessidade de olhar para isso com muito carinho. Vencendo, muita coisa te fortalece. Nosso papel é brigar por vitória em todos os jogos, mas temos que saber as dificuldades. Vibramos muito por essas duas vitórias, mas espero que seja só um começo de uma fase bem melhor. Hoje vivemos um momento diferente que tem que ser mostrado e falado, pode ser início de uma nova fase, se ninguém estacionar ou achar que está em zona de conforto. Oscilação acontece na maioria dos times a partir do momento que ninguém tem tempo para treinar e criar estrutura para suportar.

INVENCIBILIDADE NO RIO

– Sobre estarmos invictos em casa, é fruto do que acontece na atmosfera do estádio. Não se ganha só por jogar bem ou ser melhor, tem que construir a vitória. Hoje, o Botafogo é forte dentro dos seus domínios, tem que mostrar essa força fora também.



Fonte: Site oficial do Botafogo
Comentários