Já admitindo que a situação do Botafogo “parece definida”, o técnico Vagner Mancini lembrou que o iminente rebaixamento faz parte do esporte, e que não há nada que ele e os jogadores possam fazer além de lutar até o fim e torcer para a combinação de resultados necessária.

—Temos que lutar com dignidade, até o último minuto do último jogo, a situação parece ser definida, mas pode ter um revés. Não adianta pegar um porrete e entrar no vestiário, tentar que o Botafogo vença assim, porque quatro vão cair — ilustrou o treinador.

Mancini manteve a tranquilidade que o time do Botafogo não consegue ter ao sofrer gols ao longo das partidas. O treinador classificou como um “desligamento” o que acontece com os atletas ao se verem diante da derrota.

— Sempre tem um erro de passe ou uma bola mal dominada, que originaria um lance de perigo para nós. Tivemos boas oportunidades no primeiro tempo, tentamos acertar para a volta, mas tomamos o gol, e é como se desligasse uma chavinha, os atletas entram num estado emocional que leva ao erro em sequência. O emocional tem sido decisivo — avaliou o comandante alvinegro, vendo como solução o time sair na frente no placar.

Para o jogo com o Santos, Aírton retorna de suspensão, mas o treinador perderá Marcelo Mattos pelo terceiro cartão amarelo. Quem entrar em campo vai tentar honrar a camisa, segundo Mancini.

— Nossa missão é lutar até o fim. Não pode achar que está tudo definido. Muita coisa acontece quando as pessoas não esperam. A situação é dramática, sofrida, mas temos que estar de pé — pediu, como se incentivasse um lutador praticamente nocauteado a permanecer lutando sem forças para tal. Agora, é esperar o golpe fatal ou a reação improvável.

Fonte: Extra Online