O Madureira não é só o lanterna do Grupo C. É o pior time entre os 12 que disputam a atual fase do Campeonato Carioca e dono do pior ataque da Taça Guanabara (três gols pró). Para piorar, o Tricolor Suburbano ainda foi eliminado esta semana da Copa do Brasil. Do outro lado, um Botafogo praticamente classificado para a semifinal da Taça Guanabara. Praticamente.

– O pensamento não está na semifinal. Está no jogo de amanhã (este sábado) e em mais uma vitória. Minha linha de pensamento é conquistar os três pontos para a classificação e para o futuro. Chegaríamos a 11 pontos – analisa Felipe, contabilizando a possibilidade de classificação para a semifinal geral por meio da pontuação somada nos dois turnos.

O ex-atacante vai encarar um ex-companheiro na outra área técnica: estreia no Tricolor Suburbano Djair, que foi meia do Glorioso entre o fim dos anos 1990 e início dos anos 2000, e teve o então Felipe Tigrão para servir um dos jogadores mais importantes do Botafogo no título do Campeonato Brasieliro de 1995.

– Joguei com ele (Djair). Ex-companheiro e ídolo. Era um grandíssimo jogador, um dos melhores com quem joguei. Talvez, na posição, o melhor com quem joguei. Batia na bola como ninguém. Fico feliz, torço para que dê certo e, com certeza, vou dar um abraço nele – celebrou.

O Botafogo joga por um empate para confirmar a classificação. A vitória garante o primeiro lugar no grupo. E mesmo se perder, só uma combinação de resultados nos outros jogos impede o avanço do Glorioso.

Fonte: Terra