Um dos destaques do elenco, Marcinho tem convivido com graves lesões no joelho direito desde 2017, quando teve que passar pela primeira cirurgia. Apesar do mesmo local, os problemas são diferentes, assim como os tratamentos necessários. O Botafogo, porém, está assustado com a sequência sofrida pelo talentoso lateral direito.

Tudo começou em 2 de abril de 2017, quando o Botafogo venceu o Resende. Na partida, Marcinho sofreu entorse e o exame, realizado dias depois, detectou um rompimento do ligamento cruzado do joelho direito. Após a cirurgia, ele teve que passar por um longo tratamento e ficou parado por mais de dez meses (326 dias).

Desde então, Marcinho deu a volta por cima no Botafogo e agradou o técnico da seleção brasileira, Tite. Ele foi até convocado para amistosos contra Senegal e Nigéria para substituir Danilo, da Juventus, que havia se lesionado.

O joelho direito, no entanto, voltou a assombrá-lo na reta do fim do ano passado. Dessa vez, porém, não houve necessidade de cirurgia, mas apenas um tratamento conservador. Tanto que voltou aos gramados contra o Internacional, no dia 30 do mesmo mês.

Zerado, iniciou a pré-temporada como titular absoluto, mas sofreu nova entorse, mais uma vez no joelho direito. Embora não seja tão grave como a primeira, ela é mais complicada que a segunda e exigirá uma cirurgia. O problema, no entanto, não é o ligamento, mas o menisco.

Teoricamente, é algo mais simples de se resolver. Ainda não há um tempo de recuperação previsto, mas é certo que ele não participará da pré-temporada.

No último domingo (12), o Botafogo confirmou a contratação do lateral direito uruguaio Federico Barrandeguy. Além disso, o clube tem negociações avançadas com Warley, que rescindiu com o Santa Cruz e defendeu o CSA no último Brasileiro. Além de não poder contar com Marcinho, o Alvinegro deve vender Fernando no meio do ano.

Fonte: UOL