A lateral direita do Botafogo passou por donos de características distintas no primeiro semestre. Primeiro Marcinho, que já foi meia e ponta nas categorias de base; na linha defensiva, ele mantém o ímpeto ofensivo e mostra dificuldades na marcação. Fernando assumiu o posto e mostrou características inversas. A dupla é quem segue com a missão de vestir a camisa 4. Mas sabem que precisam evoluir.

Fernando esteve emprestado ao Lille, da França, e disputou, no retorno ao Glorioso, nove partidas. Por sua vez, Marcinho esteve em campo 18 vezes. E diante das dificuldades financeiras do clube, é improvável que outro jogador seja contratado para a posição. Pode até ocorrer, mas dentro dos limites orçamentários do Glorioso.

No caso do ex-ponta, ouviu vaias rotineiras da torcida desde o ano passado, quando disputou 48 partidas. Nesta temporada, a má fase abriu passagem para o concorrente, que busca a afirmação no cenário nacional – Marcinho já foi elogiado por Tite, técnico da Seleção Brasileira.

A missão é de Eduardo Barroca. O treinador comandou ambos na equipe sub-20. E, curiosamente, as escolhas limitadas do lado direito se opõem à fartura do lado esquerdo: Jonathan está recuperado de infecção urinária; Gilson segue como opção; Victor Lindenberg voltou de empréstimo e já ficou no banco em dois jogos; e Yuri, polivalente, já foi aproveitado quatro vezes desde que retornou também de empréstimo.

Fonte: Terra