O Botafogo é o clube que mais cedeu jogadores à seleção brasileira em Copas do Mundo: 47. A possibilidade de Marcinho disputar a maior competição do futebol ainda é bastante remota, mas a convocação de Tite ao menos recolocou a base do Alvinegro na rota da camisa amarela.

O último jogador formado nas categorias de base a chegar à seleção brasileira foi o também lateral direito Leonardo Moura, em 2008. O jogador, no entanto, não vestia mais a camisa do Botafogo, mas a do maior rival, o Flamengo.

Para chegar ao último atleta da casa e que chegou à seleção ainda defendendo o Botafogo, é preciso voltar 24 anos e reviver uma época bastante gloriosa. O meia Beto foi contrato em 1993 para as categorias de base e foi promovido aos profissionais no ano seguinte.

Após uma temporada e ser campeão brasileiro ao lado de Túlio Maravilha, Wilton Gottardo e companhia, Beto passou a ser frequentemente convocado para a seleção brasileira entre 1995 e 1999. Deixou o Botafogo em 96, quando se transferiu para o Napoli.

Beto lembra do início de carreira e mostra toda sua gratidão pelo clube ter dado a primeira oportunidade na carreira. “Todos sabem que sou torcedor do Flamengo por causa da minha família. Mas tenho um carinho enorme pelo Botafogo. Sou muito agradecido mesmo ao clube, que mudou a minha vida. Abriu as portas do futebol para mim e me proporcionou chegar à seleção brasileira. É um clube muito tradicional, que tem sua história até confundida com a da seleção em alguns momentos”, disse Beto ao UOL Esporte.

Por conta da convocação, Marcinho desfalcará o Botafogo possivelmente em três jogos: Goiás (dia 9 de outubro, no Nilton Santos), Palmeiras (12, em São Paulo) e provavelmente o clássico com o Vasco (16, em São Januário). O clássico ainda é incerto já que os jogadores retornam ao Brasil da desgastante viagem a Singapura no dia 15.

Fonte: UOL