Após a saída de Camilo, o Botafogo viveu um período delicado, sem saber quem era o seu camisa 10. João Paulo, Leandrinho, Marcos Vinicius e Léo Valência foram testados na função, mas não conseguiram se firmar. A dúvida, porém, faz parte do passado.

Foram alguns jogos como titular e um ganho de confiança e Marcos Vinicius resolveu a parada. Ele acumulou boas atuações com a camisa 10, marcou gols importantes e conquistou a titularidade com Jair Ventura.

Ao mesmo tempo, vê o chileno Léo Valência, contratado com status de titular, perder espaço no Alvinegro. Vale lembrar que Marcos Vinicius chegou ao Botafogo em troca emergencial com Sassá para que o clube não ficasse de mãos vazia.

Enquanto Marcos Vinícius vai caindo nas graças da torcida, Valência cai em descrédito com a comissão técnica. Além do chileno não ter agradado tanto em campo, algumas polêmicas nos bastidores contribuem para a falta de oportunidades.

“Em dez jogos, o Valencia não tem nenhuma assistência e nenhum gol. Ele tem que se ajudar e eu vou ajudar ele no time. Ele vai jogar quem tiver uma condição melhor. Vai ter que trabalhar forte. Meritocracia”, disse Jair Ventura na semana passada.

A declaração do treinador mostra que o relacionamento com o atleta não é dos melhores. Convocado para a seleção chilena para os jogos decisivos contra Equador e Brasil, Valencia não entrou em campo, mas treinou normalmente com seus compatriotas e ficou no banco nas duas partidas. Na volta ao Botafogo, no entanto, queixou-se de dores e desfalcou o time por três jogos. A informação foi revelada pelo globoesporte.com e confirmada pelo UOL Esporte.

Enquanto Marcos Vinicius já marcou cinco gols no Brasileiro – três nos últimos quatro jogos, Valência segue sem balançar as redes. Em assistências, ambos estão empatados com uma cada.

Fonte: UOL