Esqueça aquele time recheado de meninos que chegou ao vice-campeonato estadual este ano. Com a corda no pescoço, na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, o Botafogo gradualmente se transforma em uma equipe mais cascuda para buscar a reação na tabela. E uma nova etapa acontece neste domingo, às 16h, contra o Santa Cruz, em Juiz de Fora (MG).

A base do time no início da temporada tinha idade média de 25,4 anos. Se compararmos com as equipes titulares que disputam a Primeira Divisão do Brasileiro, seria o quinto conjunto mais jovem.

Mas, com as alterações que já aconteceram e as que provavelmente se concretizarão nos próximos dias, essa média subirá para 28 anos. Assim, o Botafogo se tornará a quarta equipe mais velha do campeonato, empatado com o América-MG. Só Santa Cruz, Chapecoense e Fluminense levam um conjunto mais experiente a campo.

As razões para o envelhecimento da elenco que vai lutar para livrar o Alvinegro do rebaixamento variam entre lesões e escolhas de Ricardo Gomes. O atacante Ribamar, de 19 anos, por exemplo, causou reboliço no início do ano. Mas suas atuações se tornaram cada vez mais discretas, e o clube se movimentou para contratar atletas com mais rodagem. A primeira opção, Anderson Aquino, não decolou e, com desempenho abaixo da crítica, virou alvo da torcida. O futuro dono da 9 é Rodrigo Pimpão, de 28 anos. Quase um ano após deixar o Botafogo, ele reestreou na derrota por 5 a 3 para o Atlético-MG, quinta-feira, tendo começado no banco.

Mas é questão de tempo até que seja efetivado como titular — fato que pode acontecer nesta rodada, já que Ribamar foi vendido para o Apollon, do Chipre, e não joga mais pelo Alvinegro. Sassá é o outro candidato à vaga.

— Não serei um escudo, mas vou ajudar meus companheiros — diz Pimpão: — Quando eu não render, podemos contar com outro.

Mudança acelerada

As muitas lesões que atormentam o elenco aceleraram algumas mudanças que já poderiam ser previstas. O meia Camilo, de 30 anos, foi contratado junto ao Al Shabab, da Arábia Saudita, para vestir a 10. Mas nem precisou batalhar pela titularidade, já que Leandrinho, onze anos mais novo, teve seus planos de continuar na equipe frustrados por uma lesão na coxa esquerda. O jovem jogador ainda ficará de molho por mais algumas rodadas.

— Tento levar para dentro de campo a experiência que adquiri nas últimas temporadas — afirma Camilo.

O zagueiro Emerson Santos, de 21, foi outro atropelado por lesões. Várias delas, que começaram ainda nas fases decisivas do Estadual. Sem condições de jogo, viu o xará Emerson Silva, aos 33 anos, assumir a posição.

Além dos atletas que chegaram já com status de titulares, outros reforços experientes também foram contratados e, se deixarem o banco, puxarão a média de idade do Botafogo ainda mais para cima. São os casos do volante Dudu Cearense, de 33 anos, e do atacante chileno Gustavo Canales, de 34, ambos tratando lesões.

Foto: Infografia / Extra
Fonte: Extra Online