Contornar a crise, superar a tensão eleitoral, vaga na Libertadores…tudo isso é objetivo do Botafogo nesta reta final de Campeonato Brasileiro. Mas, mesmo que discretamente, o Alvinegro também trabalha por outra meta: a liderança do returno, um título simbólico, que mesmo as três derrotas seguidas em casa deixam o Glorioso firme nesta briga.

O time de Jair Ventura está em terceiro na segunda metade do Brasileirão, com 26 pontos. Os líderes são Palmeiras e Cruzeiro, com 28. Curiosamente, são as equipes que o Botafogo enfrenta nas duas últimas rodadas. Primeiro, o Palmeiras fora e depois a Raposa no Nilton Santos.

O G4 do returno ainda tem o Bahia, com 26 pontos, mas empatado com São Paulo e Vasco. O Tricolor Paulista, por sinal, é o adversário do Alvinegro deste domingo, às 16h, no Pacaembu. O curioso é que São Paulo, Palmeiras e Cruzeiro têm poucas ambições na competição. A primeira equipes está libre do rebaixamento e com poucas chances de Libertadores, torneio que Palmeiras e Cruzeiro, sem chances de título brasileiro, já se garantiram.

Por isso, o técnico Jair Ventura até questiona:houve uma queda de rendimento? Como um time entre os quatro melhores pode ser tão cobrado?

– A gente não conversou sobre isso, mas é um assunto legal (chance de título simbólico do returno). Nosso companheiro (outro repórter) perguntou se o Botafogo estava pressionado no Brasileirão. Como o vice-líder do returno está pressionado? É estranho. Como cai de rendimento se somos o segundo melhor do país no returno? A situação não é tão crítica assim. Precisamos sempre vencer, mas não é nada desesperador. Espero conseguir o título do returno, que não significa nada, mas é um campeão virtual. – comentou o treinador na última quarta-feira, quando o Alvinegro ainda estava em segundo.

Fonte: Terra