Antes da partida contra o Vitória, no Barradão, nesta quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), os jogadores do Botafogo passaram muito tempo na concentração jogando videogame, baralho ou mexendo no celular em aplicativos como WhatsApp para matar o tédio.

A exceção entre eles foi o zagueiro Igor Rabello.

O “General”, apelido herdado dos tempos de Náutico, está no último ano do bacharelado em educação física e aproveita as horas no quarto de hotel para se dedicar aos estudos.

“Na concentração eu estudo muito e faço os trabalhos. Se perguntar ao Dudu [Cearense] ou quem concentra comigo sabe que em semana de prova não faço outra coisa. Ao invés de ver Netflix, eu fico estudando. Preciso ir bem nas provas”, disse Igor Rabello, ao ESPN.com.br.

“Eu estou sempre na média e me cobro muito por notas. O pessoal da faculdade manda eu ter calma (risos). Mas eu quero acompanhar o resto da turma mesmo tendo uma outra profissão”, contou.

O zagueiro começou o curso logo após se formar no ensino médio. Como estava na transição entre as categorias de base e o profissional, ele conseguiu fazer a licenciatura em três anos.

“É complicado, precisa de ajuda da família e dos amigos. Eu falto por causa de viagem e me passam as matérias. Meus pais levaram muitas vezes meus trabalhos para a faculdade enquanto eu estava viajando com o clube”, relatou.

Logo após se formar, ele começou o bacharelado, mas precisou trancar o curso após ser emprestado ao Náutico para jogar a Série B de 2016. De volta ao Botafogo nesta temporada, ele retomou os estudos.

“Vai ficado cada vez mais difícil conciliar as duas coisas. Eu não gosto de ficar parado sem fazer nada. Sou bem ativo o dia todo. Gosto de fazer bastante coisas, mesmo que fique cansado. Às vezes reclamo, mas eu gosto disso”, garantiu.

O defensor não escapa das piadas dos colegas de classe e dos pedidos inusitados.

Satiro Sodré/Gazeta Press

Atletas do Botafogo comemoram o gol de Igor Rabello
Atletas do Botafogo comemoram o gol de Igor

“Têm torcedores do Botafogo e de outros times na minha sala e rola muita zoeira. Às vezes me cobram, mas tudo na brincadeira. Tem os campeonatos de faculdade e vou direto ver os treinos e o torneios. Eles me chamam para jogar, mas não posso (risos)”, admitiu.

Igor pode seguir no futuro o exemplo do zagueiro Chilellini, da seleção italiana e da Juventus. Ele é formado em economia e recentemente defendeu sua tese de mestrado.

“Objetivo é sempre estar aprendendo. Eu vou fazer o que for possível para mim. Vai ser mais complicado fazer a pós-graduação porque as aulas são de final de semana. Geralmente ou estamos jogando ou concentrados. Por isso, eu vou fazer uns cursos durante a semana para me especializar”, disse.

instagram

Igor Rabello quer terminar o bacharelado
Igor Rabello quer terminar o bacharelado

A ideia do botafoguense é seguir na área de gestão esportiva.

“Muita gente tem preconceito com jogador de futebol. Hoje em dia acho que os atletas procuram estudar mais. Mesmo quando não fazem faculdade, vejo o pessoal lendo e querendo aprender outras áreas”, analisou.

O xerife alvinegro quer mostrar aos mais jovens a importância dos estudos.

“Eu procuro sempre dizer aos garotos mais novos que é sempre bom estudar. É cansativo, mas precisa querer mais para o futuro. Dou esse recado principalmente aos pais, que podem incentivar e ajudar. Não adianta dizer que não dá, porque se você se esforçar é possível”, finalizou.

Fonte: ESPN.com.br