Ricardo Gomes Raymundo e Jorge de Amorim Campos certamente assistem a um filme passar diante de seus olhos quando se reencontram. E hoje com 51 anos, têm muito o que conversar e relembrar. Cariocas, nascidos no mesmo ano – em 1964 – ex-companheiros na seleção brasileira e ex-rivais em muitos Fla-Flu’s disputados no Maracanã na década de 1980, os amigos voltam mais uma vez ao estádio neste domingo, às 16h, para disputarem o título do Campeonato Carioca de 2016. Ricardo Gomes, como técnico do Botafogo, e Jorginho, como técnico do Vasco.

Os dois brigaram pela bola muitas vezes. Titular do Flamengo, Jorginho sabia que depois de passar por Branco na zaga do Fluminense teria pela frente o grandalhão Ricardo Gomes. O ex-lateral direito, revelado no América-RJ, defendeu o time rubro-negro de 1984 a 1989 e foi campeão carioca em 1986. O ex-zagueiro começou antes sua trajetória na equipe tricolor, em 1982, e saiu depois de seis anos, tendo conquistado o estadual três vezes (de 1983 a 1985) e sido campeão brasileiro em 1984.

As carreiras continuaram caminhando juntas. Na década 1990, eles foram se aventurar na Europa e lá também se enfrentaram. Ricardo Gomes começou no Benfica, e Jorginho no Bayer Leverkusen. Na sequência, o ex-zagueiro se transferiu para o PSG, e o ex-lateral para o Bayern de Munique. O destino deles se cruzou mais uma vez: foram titulares na vitória do time francês sobre o alemão por 2 a 0 em duelo pela Uefa Champions League da temporada 1994/1995.

Se eram rivais nos duelos por seus clubes, a amizade nasceu e ficou forte pela convivência na seleção brasileira, desde as categorias de base. Juntos – mas com Ricardo Gomes apenas no banco de reservas, conquistaram a medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Seul, na Coreia do Sul, em 1988. Dois anos depois, formaram a zaga que sofreu pela eliminação diante da Argentina nas oitavas de final da Copa do Mundo de 1990, com o zagueiro expulso a cinco minutos do apito final.

Mais um capitulo da parceira na seleção brasileira seria escrito e fechado com chave de ouro. Não fosse uma lesão ter atrapalhado. Depois de ajudarem o Brasil a conquistar a vaga nas eliminatórias, Ricardo Gomes sofreu uma lesão muscular num amistoso contra El Salvador, o último antes da estreia na Copa do Mundo de 1994, e foi cortado do Mundial. De longe, viu o amigo Jorginho integrar o elenco que conquistou o tetracampeonato nos Estados Unidos.

Penduraram as chuteiras – Ricardo Gomes em 1996, pelo Benfica, e Jorginho em 2001, no Fluminense -, e começaram a escrever novos capítulos na amizade.

Em 2011, um gesto mostrou o carinho e a parceria. Jorginho, então treinador do Figueirense, pediu para todos os jogadores da equipe catarinense autografarem uma camisa e a deu de presente para o amigo Ricardo Gomes, que estava internado por conta do AVC hemorrágico sofrido enquanto comandava o Vasco numa partida no Engenhão.

De volta ao futebol em 2015, quatro anos depois, Ricardo Gomes assumiu o Botafogo. Neste domingo, brigará com Jorginho pelo título de campeão carioca e poderá comemorar a superação, a vida e mais um reencontro com o amigo de longa data, num palco tão significativo para os dois como o Maracanã. O jogo de volta entre Botafogo e Vasco será daqui uma semana.

FICHA TÉCNICA:
BOTAFOGO X VASCO

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 1 de maio de 2016 (Domingo)
Horário: 16h(de Brasília)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Assistentes: Dibert Pedrosa Moisés (RJ) e Silbert Faria Sisquim (RJ)

BOTAFOGO: Jéfferson, Luis Ricardo, Renan Fonseca, Emerson Silva e Diogo Barbosa; Bruno Silva, Rodrigo Lindoso, Gegê e Leandrinho; Juan Salgueiro e Ribamar. Técnico: Ricardo Gomes

VASCO: Martin Silva, Madson, Luan, Rodrigo e Julio Cesar; Marcelo Mattos, Julio dos Santos, Andrezinho e Nenê; Jorge Henrique e Duvir Riascos. Técnico: Jorginho

Fonte: ESPN.com.br